-
04/12/2019 às 21h00min - Atualizada em 04/12/2019 às 21h00min

Bragança sedia a sua 1ª Festa Literária até domingo (8)

Além de valorizar a produção literária regional, a feira reunirá obras produzidas em diversos municípios do Estado

belem.com.br
Agência Pará
A Festa contará com lançamento de livros, recitais de poesia, comercialização das publicações, entre outras atividades (Foto: Ascom/Secult)
   
Bragança, no nordeste paraense, recebe, até o próximo domingo (8), a 1ª Festa Literária de Bragança, que teve início nesta quarta-feira (4), no Liceu da Música, como parte das ações da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, promovida pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult).
 
A Festa Literária de Bragança é uma realização do governo do Pará, por meio da Secult, em parceria com a Associação Sociocultural e Recreativa de Bragança (Ascubra) e apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fundação Cultural do Pará, UFPA - Campus Bragança e Universidade do Estado do Pará (Uepa), por meio do Liceu de Música de Bragança, integrando as políticas públicas de fomento ao livro, à leitura e à difusão das linguagens e expressões culturais e artísticas.
 
"A parceria com a Uepa é muito feliz. O Liceu da Música é um equipamento cultural que valoriza a memória e o patrimônio histórico e arquitetônico da cidade. E nós vamos ocupá-lo com muita música, literatura e economia criativa durante nossa derradeira Festa Literária de 2019", afirma a secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal.
 
Em sua 23ª edição, a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes passou por diversas reformulações para tornar-se mais inclusiva e uma das principais mudanças foi o recorte curatorial específico na programação - proposta que foi replicada para as Festas Literárias - já que o evento se configura como um espaço de luta e construção de identidades para um lugar de fala.
 
Compreender e fomentar a cultura das multivozes é dever e direito e, através das ações transversalizadas da Feira, o discurso literário, social e histórico - escrito ou oralizado - dará espaço à voz feminina, negra, originária, LGBTI's, periférica e urbana, assim como as diversas falas da cultura, traçando um ponto de interseção entre os campos erudito, teórico, acadêmico e popular - uma transposição de muros que torna o diálogo fluido e o conhecimento circulante.
 
Para garantir que todas essas vozes sejam compreendidas por todos, haverá intérprete de libras em todas as palestras e rodas de conversas. Técnicos da UFPA auxiliarão as pessoas com deficiência auditiva na participação durante a programação, para que a inclusão aconteça de fato.
 
Além da valorização da produção literária regional, a feira reúne obras produzidas em diversos municípios do Estado, com lançamento de livros, recitais de poesia, comercialização das publicações, entre outras atividades.
 
A versão bragantina segue o exemplo da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes e também homenageia o poeta João de Jesus Paes Loureiro e a professora e ativista Zélia Amador de Deus, duas personalidades de grande importância nos cenários literário, acadêmico e do ativismo social.
 
Serviço:
A Festa Literária de Bragança é parte da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, uma ação do governo do Pará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult) e ocorre no período de 4 a 8 de dezembro, de 10h às 22h, no Liceu da Música de Bragança. A entrada é franca.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual dos museus em Belém deveria ser visita obrigatória para qualquer pessoa que queira conhecer mais a cidade?

66.7%
4.8%
0%
9.5%
19.0%