-
05/12/2019 às 20h54min - Atualizada em 05/12/2019 às 20h54min

Concessão do Mercado de São Brás à iniciativa privada é discutida com permissionários

Prefeitura, permissionários e vereadores se reúnem para debater a questão

belem.com.br
Rosa Borges (jornalista do www.belem.com.br) e Agência Belém
Os feirantes denunciam que não foram consultados e que tudo foi decidido sem a participação deles (Foto: João Gomes/ Agência Belém)

A intenção da Prefeitura Municipal de Belém de privatizar o Mercado de São Brás terá que esperar mais um pouco. A decisão foi resultado de uma reunião ocorrida nesta quinta-feira (05), entre a Associação dos Feirantes do Mercado de São Brás e o poder público municipal, representado pela Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem) e Secretaria Municipal de Economia (Secon), com a intermediação de vereadores municipais.
 
O projeto da PMB prevê a privatização do espaço por um período de 30 anos e transformá-lo em um centro de atividades e serviços, mas os feirantes denunciam que não foram consultados e que tudo foi decidido sem a participação deles. O projeto vai impactar diretamente na atividade de 500 pessoas que atuam no local.
 
Segundo Rosana Martins, da Associação de Feirantes do Mercado de São Brás, no próximo dia 09 de dezembro um novo encontro está marcado com os representantes da Codem, órgão municipal que está responsável pela revitalização do espaço. "Da reunião de hoje (quinta-feira), ficou decidido que dia 09 nós vamos definir a data de uma audiência pública, e que só depois dessa audiência é que será formatado o projeto de privatização do Mercado de São Brás", informou.
 
Rosana lembrou que as manifestações contra a postura da prefeitura de Belém iniciaram no dia 02 de dezembro, quando realizaram um abraço ao redor do mercado e exigiram um cuidado maior com o espaço tombado como patrimônio histórico e que há bastante tempo apresenta uma estrutura precária, com rachaduras e infiltrações.
 
Modelo – Segundo a prefeitura, em matéria publicada na Agência Belém, veículo oficial do município, a “revitalização do Mercado de São Brás será executado mediante uma parceria público-privada, por meio de concessão, a qual possibilitará uma nova forma de uso do mercado histórico, gerando um modelo alternativo de negócios, com oferecimento de capacitação aos permissionários, além de um espaço de cultura e lazer à população”, diz um trecho da reportagem.
 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual dos museus em Belém deveria ser visita obrigatória para qualquer pessoa que queira conhecer mais a cidade?

68.4%
0%
0%
10.5%
21.1%