-
01/01/2020 às 14h54min - Atualizada em 01/01/2020 às 14h54min

Arraial do Pavulagem promoverá Cordão do Galo no Marajó

Cortejo de domingo (12), em Cachoeira do Arari, mostrará o resultado de oficinas

Assessoria do Evento
com edição do belem.com.br
Cortejo vai ser a culminância das oficinas do Instituto Arraial do Pavulagem - Foto: Reprodução Facebook
   
Há  12 anos consecutivos, no município de Cachoeira do Arari, na Ilha do Marajó(PA), é realizado o ‘Cordão do Galo’, um folguedo popular de natureza social, educativa, artística, cultural e ambiental, envolvendo cerca de 300 crianças e adolescentes.


“É uma demonstração de criatividade e ludicidade, visando o desenvolvimento ético, estético e humano”, segundo a descrição do informativo do Instituto Arraial do pavulagem, realizador da programação cultural.


Toda a temática é concebida a partir de um brinquedo animado, representado na figura de um galo de cerca de dois metros, que a cada ano se renova e difunde o trabalho de artistas e artesãos paraenses.
 

O galo, ícone da brincadeira, faz alusão ao padre italiano, naturalizado brasileiro, Giovanni Gallo, que em 1972, fundou o Museu do Marajó, mas também se reporta aos animais criados nos terreiros e quintais, criações domésticas bem comuns no interior paraense.

O Cordão do Galo vem a se inserir como ação de salvaguarda da Festividade do Glorioso São Sebastião, reconhecida pelo IPHAN/Minc como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro (2013). 
O processo de construção da brincadeira compreende a realização de oficinas e vivências culturais diversificadas.

As oficinas iniciam na segunda-feira, (06) e encerram no sábado(11). Elas expressam o modo de saber-fazer da comunidade, cujo resultado é apresentado em cortejo pelas ruas da cidade, interpretado por figuras de animais caracterizados, acompanhado de orquestra de instrumentos musicais tradicionais.


Todo o projeto cultural está sendo realizado pelo Instituto Arraial do Pavulagem e a Irmandade dos Devotos do Glorioso São Sebastião.

Segundo um dos fundadores do Arraial do Pavulagem, Ronaldo Silva, “as oficinas são a construção do que vai ser levado pro cortejo, é a culminância dessa história”, define.
Ele avisa que os interessados poderão participar das oficinas de canto popular, danças tradicionais, percussão, técnicas circenses e de confecção e manutenção de alegorias e adereços.

“Essa última (oficina) a gente faz porque toda vez a gente constrói coisas novas e faz a manutenção das antigas”, descreve.

Ronaldo Silva, avisa que o cortejo passará pelo entorno do Museu do Marajó, trazendo os públicos do bairro do Choque e a comunidade de Petropólis.

Este ano, o projeto foi contemplado no Prêmio PREAMAR de Cultura Popular da SECULT, do Governo do Estado do Pará.

 
SERVIÇO

Dia: 12 de janeiro de 2020 (domingo)
Local: Museu do Marajó (Concentração), Cachoeira do Ararí (PA)
Horário: 08h00
Percurso do Cortejo: Cercanias do Museu do Marajó e bairro do Choque.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.0%
1.4%
3.0%
1.1%
57.8%