-
15/01/2020 às 15h30min - Atualizada em 15/01/2020 às 15h30min

Mulheres se unem e pedem paz em vários municípios paraenses

Casos recentes de violência contra mulheres, sobretudo em Marituba, motivam os atos

Andreza Gomes
Jornalista do belem.com.br
O Instituto Recomeço luta contra a violência e estará presente no ato de Marituba (Foto: Divulgação)
     
“Os direitos das mulheres são direitos humanos – Marche por elas”. Com este foco, todas as mulheres estão sendo convocadas a participar, nesta sexta-feira (17), às 8h, de uma marcha pacífica no município de Marituba, na Região Metropolitana de Belém.
 
Uma das exigências da marcha é o respeito, o tratamento digno às mulheres e a implantação de uma Delegacia da Mulher em Marituba.
 
Segundo a diretora do Instituto Recomeço, Tereza Rodrigues, o objetivo do evento é fortalecer a rede de proteção de violência contra a mulher. “O objetivo desse ato realmente é trazer uma delegacia da Mulher para Marituba, porque o município ultimamente teve um índice muito alto de violência contra a mulher”, informa.
 
No último fim de semana, a jovem Samara Mescouto, de 20 anos, foi encontrada morta e com sinais de estrupo na cidade de Marituba. E outras vítimas foram confirmadas. Como suspeitos, foram presos um adolescente de 17 anos e Jederson Menezes Alves, de 20 anos. O adolescente confessou o crime com a ajuda de Jederson.
 
Instituto Recomeço
 
O Instituto Recomeço já participou de várias manifestações e, inclusive, contribuiu para a instalação de uma Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher no município de Ananindeua, também na Região Metropolitana de Belém.
 
“Nós temos esta vertente de trabalhar com a prevenção do abuso infantil, drogas e violência contra a mulher”, explica a diretora.
 
A sede do Instituto fica na rua 02 de Julho, na entrada do bairro de Águas Brancas. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h.
 
“Nós participamos de ações sociais na comunidade, com palestras que reforçam a importância da mulher; como ela deve se cuidar, como deve se empoderar. Esse movimento que a gente leva para comunidade”, finaliza Tereza Rodrigues.
 
Eliana Perdigão foi vítima de violência doméstica e hoje atua em defesa das mulheres. Ela ressalta a importância deste ato.
 
“O ato vem realmente fortalecer a luta pelos Direitos Humanos das mulheres, demonstrar o nosso repúdio, a nossa revolta com o que houve ali. Embora as garotas não fossem moradoras de lá, vamos aproveitar esse mesmo momento para cobrar a efetivação de mais uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher naquele município, que a gente sabe que carece desse aparato já faz um bom tempo”, finaliza.
 
Ananindeua

No sábado (18), outro grupo de mulheres vai realizar uma caminhada pela paz e em favor da vida. O coletivo está convidando todas as esteticistas, profissionais da beleza e estudantes da área para o ato.
 
O objetivo é unir forças e pedir um basta à violência contra a mulher.
 
“É o dia em que comemoramos as conquistas de nossa profissão. E vamos dedicar um momento deste dia para nos solidarizar com as vítimas do maníaco de Marituba e seus familiares”, ressalta o convite que circula nas redes sociais.
 
A caminhada pela paz sairá às 8 horas da manhã do sábado, na Cidade Nova IV, sn 17, da escola DNA em direção à praça da Bíblia.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.6%