-
19/01/2020 às 17h00min - Atualizada em 19/01/2020 às 17h00min

Balé Folclórico da Amazônia comemora 30 anos de existência

Uma pequena Mostra de fotografias e figurinos marcam as comemorações

O grupo é conhecido internacionalmente (Foto: Divulgação)
  Quem quiser conhecer a história do Balé Foclórico da Amazônia pode visitar na Biblioteca Pública Avertano Rocha, em Icoaraci, a exposição de curta duração em comemoração aos 30 anos de fundação.

A mostra tem curadoria de Eduardo Vieira e Jandira Pimente. Como parte da programação, durante o período de 20 a 24 de janeiro, serão ofertadas oficinas gratuitas, entre elas, adereços, fotografia, vídeo.

A exposição contará com fotos e figurinos utilizados pelos bailarinos, desde a década de 90 até os dias atuais. A programação segue até o dia 1º de fevereiro.    

O trabalho é uma iniciativa do grupo Balé Folclórico da Amazônia, a partir de um projeto de extensão da Universidade Federal do Pará (UFPA), sob a coordenação da professora Yda Moy, que tem como objetivo contar um pouco da trajetória cultural do grupo, que foi construída ao longo de 30 anos.

Valorização - Segundo o diretor artístico do grupo, Eduardo Vieira, a exposição irá contribuir para a valorização e renovação da dança e da cultura amazônica. “Com essa divulgação nós pretendemos firmar cada vez mais a identidade amazônica pelo Brasil e pelo mundo”, finaliza Eduardo.

O bailarino de 45 anos, Oneno Moraes, ressalta sobre a importância da população local conhecer a história do grupo. “Faço parte da companhia há sete anos e, apesar de ter entrado um pouco tardio, pra mim é uma realização e superação todos os dias, o que me traz emoção e alegria, não consigo mais viver sem”, comenta.

A diretora da biblioteca, Lídia Albuquerque, comenta sobre a divulgação deste grupo que é conhecido internacionalmente. “O grupo leva Belém e o distrito de Icoaraci Brasil afora com um carinho especial, e mais especial ainda é esse momento ser comemorado na biblioteca”, destacou a diretora.

Serviço: Exposição 30 anos: dançando tradições amazônicas
Segunda à sexta-feira, das 8h às 14 horas
Data: Até o dia 1º de fevereiro.
Entrada franca.
 
Oficina de figurinos e adereços cênicos (gratuitas)
Dias: 20, 21 e 22 de janeiro
Horário: das 8h às 12h

Oficina de conservação de documentos
Dias: 22, 23 e 24 de janeiro
Horário: das 8h às 12h
 
Oficina de fotografia e vídeo
Dias: 22, 23 e 24 de janeiro
Horário: 8h às 12h

Inscrições: (91) 98125-6952, com Jandira Pimentel
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.9%