-
20/11/2020 às 11h48min - Atualizada em 20/11/2020 às 11h48min

Personalidades paraenses para conhecer no Dia da Consciência Negra

A influência da população negra está presente em vários segmentos da sociedade

Olívia Varela / Equipe Belém.com.br
Confira 11 personalidades negras paraenses para conhecer e se orgulhar. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)
     
Os protagonistas da história de um povo são as pessoas que vivem diariamente com o objetivo de tornar a sociedade cada vez melhor. No caso da população negra, apesar da sua influência em vários campos da sociedade, o destaque e o reconhecimento nem sempre são atingidos por conta do racismo, do preconceito e da desigualdade racial existentes no Brasil. Os movimentos sociais que lutam contra essas amarras discriminatórias fazem um importante papel de conscientização étnico/racial. Porém, sempre é bom lembrar que essa luta é um dever de todos.


Neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, preparamos uma lista com personalidades negras paraenses para conhecer e se orgulhar:



Carolynne Matos

A fotógrafa contemporânea e modelo Carolynne Matos descobriu a paixão pela fotografia com uma câmera que ganhou da avó. Iniciou com o autorretrato e hoje demonstra na sua estética uma singularidade única através das cores, figuras e sensações presentes na imagem.



Mana Josy

Poeta, rapper e pedagoga, Shaira Mana Josy foi uma das precurssoras do Hip-Hop paraense e é uma das idealizadoras do projeto Slam Dandaras do Norte. Sua poesia é composta de força e luta, representando o povo negro, as mulheres e a periferia.



Preto Michel

O escritor um dos nomes mais lembrados quando o assunto é o movimento hip-hop em Belém. Sócio educador e militante, Michel atua desde 1998 em ONGs e no bairro do Tapanã com a educação de jovens. Além disso, Michel é autor das obras Contos de Visagens e Preto Poesia.


 
Rafael Oliveira

Quando você pensa na nova geração de críticos de cinema, Rafael é uma referência paraense. Além disso, é produtor cultural e cria conteúdo para o Instagram sobre cultura, cinema e sexualidade. Rafael também é o idealizador do podcast "Depois do Armário".



Nic Dias

A rapper e compositora é um dos destaques da nova geração do Rap Paraense. Aos 18 anos, Nic começou a escrever as suas primeiras músicas sobre a vivência negra. Seu último single "Baby Prince$$" está disponível nas plataformas digitais e no Youtube.



Lília Melo

Professora, educadora social e idealizadora do projeto Cine Clube da Terra Firme. Lília conquistou em 2018 o prêmio nacional "Professores do Brasil", do Ministério da Educação, após criar o projeto "Juventude Negra Periférica - Do Extermínio ao Protagonismo".



Gabriel Conrado

Fisioterapeuta e ativista digital, Gabriel criou o canal Égua Preto no Youtube para abordar a realidade e a resistência negra no cenário brasileiro. Além disso, ele fala em seus conteúdos sobre entretenimento, história, cultura e informação sobre fisioterapia e negritude.



Iza Moreira

Com apenas 19 anos, Iza é modelo, atriz e representa o município de Ananindeua pelo Brasil. A jovem trabalha como modelo desde os 17 anos, mas ficou conhecida pela personagem "Fran", protagonista da série brasileira da Netflix "Boca a Boca".



Beatriz Paiva

A artista visual retrata a negritude, a sexualidade lésbica e a periferia em zines, quadros e lambes que trazem sensibilidade para os muros de Belém. O objetivo é democratizar a arte e tornar visível corpos e cores que são menosprezados nas artes tradicionais.



Anastácia Marshelly

Suas performances repletas de originalidades e movimentos marcantes à tornam conhecida por onde ela passa. Bailarina, modelo, atriz e performer, Anastácia também é ativista do movimento negro e LGBTQI. Sua dança é uma manifestação de arte, beleza e protesto.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.7%
2.4%
4.5%
14.2%
1.4%
3.1%
1.0%
57.7%