-
21/12/2020 às 12h00min - Atualizada em 21/12/2020 às 12h00min

Saiba como observar a 'Estrela de Belém', fenômeno que ocorre hoje mundialmente

Evento pode ser visto a olho nu, dependendo das condições climáticas

Carolina Neves - Equipe Belém.com.br
A grande conjunção de Júpiter e Saturno resulta em brilho no céu como o de uma estrela, fazendo o fenômeno ser conhecido como Estrela de Belém ou Estrela de Natal. (Foto: Bill Ingalls/NASA)
   
Na noite de hoje (21), que também marca o solstício de verão, ocorre a grande conjunção entre Júpiter e Saturno, que ocorreu pela última vez há 800 anos e poderá ser vista até mesmo a olho nu mundialmente, cerca de uma hora após o pôr do sol, caso o céu esteja limpo.
 
O fenômeno se torna importante por ser uma condição rara. Júpiter e Saturno passam próximos um do outro todos os anos, mas hoje estarão em sua máxima aproximação, alinhamento que ocorreu pela última vez quase 800 anos atrás. A conjunção entre dois planetas por si só, é algo raro. 
 
Após o ápice da conjunção de hoje ainda é possível acompanhar os planetas se distanciando nos próximos dias, de forma gradual, sempre observando o céu cerca de uma hora após o pôr do sol. A conjunção acontece no mesmo dia do solstício de verão, no entanto, é apenas uma coincidência, baseada nas órbitas dos planetas e na inclinação da terra.
 
O fenômeno da estrela de Belém, ou Estrela de Natal, tem esse nome devido à "estrela" que guiou os três reis magos para a cidade de Belém, onde Jesus nasceu. Só que essa "estrela" na verdade era o cometa Halley que estava cruzando o céu naquele período. Segundo Reginaldo Côrrea Jr., físico astrônomo do Centro de Ciências e Planetário do Pará (CCPPA), o evento de hoje não tem nenhuma relação com o cometa. "Como estamos no período natalino, essa conjunção se dá nesse período em que é comemorado o Natal e o brilho desses dois planetas se assemelha a uma estrela".
 
Eventos para visualização do fenômeno ocorrem mundialmente, inclusive no CCPP, que é o único planetário físico da região norte, e teve inscrição de quase 400 interessados para o seu evento. O Estrela Belém será realizado na parte externa do planetário, que será exclusivo para trinta pessoas, seguindo o protocolo de biossegurança. Não serão abertas mais vagas para evitar aglomeração, por conta da pandemia da Covid-19. As informações são da professora Alice Sousa, assessora pedagógica do CCPA.
 
Confira dicas de como ver melhor o fenômeno
  • Encontre um local que possua uma visão ampla do céu, como um campo ou uma praça. Júpiter e Saturno são brilhantes, então provavelmente poderão ser vistos a olho nu até mesmo de Belém, uma cidade com bastante poluição atmosférica e luminosa;
  • Uma hora após ao pôr do sol, olhe para o céu do sudoeste (onde ele se põe). Não é recomendável olhar diretamente para o Sol, então o observe um pouco acima do horizonte. Você verá um ponto luminoso com um brilho um pouco intenso;
  • Para uma excelente observação é necessário um céu limpo e sem nuvens com o auxílio de um binóculos ou um telescópio;
  • Do ponto de vista na Terra, os planetas parecerão quase um só, formando o fenômeno Estrela de Belém, mas na verdade continuam separados por milhões de quilômetros no espaço.

Serviço
A partir de amanhã (22) o Centro de Ciências e Planetário do Pará ficará fechado para visitações presenciais, abrindo para o público novamente apenas em fevereiro.
Mais informações serão dadas no Facebook e Instagram do CCPP.
   

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.7%