-
30/01/2021 às 13h42min - Atualizada em 30/01/2021 às 13h42min

Lockdown: Baixo Amazonas e Calha Norte entram em alerta máximo devido à nova variante da covid-19

Bandeiramento da região sai do vermelho para o preto a partir da próxima segunda (1º)

Agência Pará
Com edição do Belém.com.br
A decisão de alterar o bandeiramento foi tomada com base na atualização da situação epidemiológica no oeste do Pará. (Foto: Marcos Santos/Agência Pará)
     
A partir da próxima segunda-feira (1º de fevereiro), o bandeiramento no Baixo Amazonas e Calha Norte passará de vermelho para preto, o que significa lockdown para essa região. O anúncio foi feito na manhã deste sábado (30), pelo governador Helder Barbalho, por meio das redes sociais.


A decisão de alterar o bandeiramento foi tomada com base na atualização da situação epidemiológica no oeste do Pará. “No dia de ontem, o instituto Evandro Chagas identificou a nova cepa do coronavírus nesta região. Além disso, o aumento na procura de leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), para atendimento de pacientes da covid-19, nos trazem severas preocupações sobre a capacidade do nosso sistema atender a todos. Por esta razão, pedindo a compreensão e a solidariedade, nós estaremos mudando o bandeiramento da região que está em vermelho (risco elevado) para preto (lockdown)”, determinou Helder.


O governador do Pará informou ainda que a mudança necessária é uma ação técnica, com o objetivo de garantir a preservação de vidas e para impedir o avanço da covid-19 em território paraense. “Isto é necessário para salvar a vida da nossa população, para evitar a proliferação do vírus e, consequentemente, evitar problemas graves que possam levar ao óbito muitos paraenses. Nós não podemos deixar que isso aconteça em nosso estado. Peço a compreensão de cada um, para que possamos, nesse momento, preservar a vida e, certamente logo, logo podermos voltar a nossa realidade”.

O governo do Pará vem intensificando os investimentos e as ações de enfrentamento à pandemia da covid-19 no estado, em especial no extremo oeste paraense, localizada próximo ao Amazonas. O estado vizinho já enfrenta uma crise na saúde ocasionada pela segunda onda do coronavírus.

Para reforçar o atendimento a pacientes com a covid-19 nessa região, o governo estadual já conta com 10 leitos de UTI em Juruti; 44 leitos de UTI adulto, 4 leitos de UTI pediátrica e 3 leitos de UTI Neonatal, no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e mais 60 leitos de UTI em Itaituba.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.9%