-
02/10/2019 às 11h26min - Atualizada em 02/10/2019 às 11h26min

Círio deve injetar R$ 1 bilhão na economia paraense

A expectativa é que 83 mil turistas de todo o Brasil venham para Belém durante a festividade

Portal Belém
Agência Pará
Esse é o Círio de número 227. A tradição é conhecida mundialmente e atrai um grande número de romeiros para a capital (Foto: Marco Santos/ Agência Pará)
O povo paraense está em contagem regressiva para o Círio 2019. Nas ruas da capital, já é possível observar a expectativa para as procissões deste ano. Ao todo, são 12 romarias oficiais, que iniciam na sexta-feira (11), com o Traslado para Ananindeua. A última procissão será o Recírio, que em 2019 será dia 28.
 
Segundo um levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese), estima-se que, com a festividade, sejam injetados cerca de R$ 1 bilhão na economia paraense. Os setores mais beneficiados serão os de prestação de serviços (como turismo religioso e hotelaria); comércio (com atividade de vendas em geral); indústria e agropecuária, destacando especialmente o aumento do fornecimento de maniva e farinha, do interior para a capital.
 
Em Santo Antônio do Tauá, os quatro maiores agricultores são atendidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e todos possuem agroindústrias de maniva pré-cozida. Esse ano, eles estimam produzir 200 toneladas de maniva.
 
O trabalho é intensificado a partir de agosto e o aumento na produção chega até 600%. A Emater acompanha as atividades desses produtores com a elaboração de documentos, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), e também realiza orientação técnica para àqueles que, além da agroindústria, dispõem de áreas de cultivo de mandioca.
 
O número de pessoas empregadas reflete também no consumo. Segundo a Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec) o estado registrou um aumento no número de trabalhadores empregados formalmente pelo 4° mês consecutivo. O Dieese avaliou de uma forma positiva o crescimento.
 
“Observamos que o ambiente de negócios no Estado tem se mantido favorável nos oito últimos meses, ao mesmo tempo em que as obras públicas estão caminhando, fortalecendo especialmente o setor da Construção Civil e proporcionando renda aos trabalhadores, para que possam consumir e movimentar a economia do Pará de forma expressiva durante o Círio de Nazaré nos meses seguintes”, explicou Everson Costa, técnico do Dieese Pará.
 
Tradição – Esse é o Círio de número 227. A tradição é conhecida mundialmente e atrai um grande número de romeiros para a capital. A expectativa é que, esse ano, 83 mil turistas de todo o Brasil venham para a capital durante a festividade.
 
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) preparou uma programação especial. “Teremos várias atividades, como, por exemplo, receptivos aos turistas no aeroporto, terminal hidroviário e também na rodoviária. Além disso, teremos também o ‘Caminhos de Nazaré’, quando nossas equipes darão apoio e acolhimento aos romeiros que vêm caminhando de cidades próximas, e o concurso de ornamentação de embarcações do Círio Fluvial”, informou o secretário de turismo, André Dias.
 
Adiantamento – Para reforçar também esse estímulo na economia, o governo adiantou a primeira parcela do 13% salário dos servidores estaduais, ativos e inativos, para os dias 8 e 10 de outubro. O pagamento de 50% do benefício representa injetar cerca de R$ 300 milhões na economia do estado.
 
Romarias – A mais longa das 12 procissões é a que abre a festividade do Círio. O percurso do Traslado tem 50 quilômetros e inicia na Praça Santuário, encerrando na Igreja de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua. De acordo com a organização da festa, a estimativa é que o trajeto dure 10 horas.
 
No sábado, a Romaria Rodoviária inicia as quatro procissões do dia. A saída é após a missa realizada na Igreja Matriz de Ananindeua. De lá, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré segue até o distrito de Icoaraci, de onde sai para a Romaria Fluvial. Nesta procissão, a imagem é levada em um navio da Marinha até a Escadinha da Estação das Docas. Cerca de 400 embarcações devem participar da homenagem, que dura aproximadamente 2h.
 
Em seguida, é o momento de Nossa Senhora de Nazaré receber as homenagens na Motoromaria, que percorre as principais ruas do centro de Belém até o Colégio Gentil Bittencourt, onde acontece a bênção dos motociclistas.
 
À tarde, é realizada uma missa no Colégio Gentil e, após a celebração, inicia a Trasladação, que tem um percurso de 3.700 km e termina na Igreja da Sé. O público estimado dessa romaria é de 1 milhão e 400 quatrocentas mil pessoas, segundo a organização da festividade.
 
No domingo, ocorre a principal romaria. Uma missa abre as celebrações do dia e procissão inicia logo após. A romaria sai em frente à Igreja da Sé e segue até a Praça Santuário. Dados do Dieese apontam que 2 milhões de pessoas devem acompanhar o Círio esse ano.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.7%
2.4%
4.5%
14.2%
1.4%
3.1%
1.0%
57.7%