-
02/08/2021 às 14h00min - Atualizada em 02/08/2021 às 14h00min

Ação educativa promove retorno seguro às escolas da Grande Belém

Operação se inicia nesta segunda (02), em escolas da capital e Região Metropolitana e seguirá até o fim da primeira semana

Agência Pará
Com edição do Belem.com.br
As aulas presenciais na rede estadual de ensino estavam suspensas desde março do ano passado.(Foto:Ascom/PMPA)
                                                                    
Para auxiliar na retomada segura das aulas presenciais da rede estadual de ensino, a partir desta segunda-feira (02), a Polícia Militar do Pará, por meio da Companhia Independente de Polícia Escolar (Cipoe), dá início à operação “Volta às aulas". A ação consiste na distribuição de panfletos educativos contendo uma série de cuidados que irão garantir a segurança de alunos, professores e funcionários para que o retorno ao ambiente escolar ocorra em conformidade com as medidas preventivas. A operação ocorre em escolas da capital e Região Metropolitana e irá até o fim da primeira semana de retorno às aulas presenciais.

No material distribuído pela Companhia constam dicas preventivas, tanto para os alunos quanto para os funcionários das escolas, que reforçam a importância do uso da máscara e do álcool gel, além do distanciamento social dentro e fora de sala de aula, mesmo para os que já estão vacinados.

As aulas presenciais na rede estadual de ensino estavam suspensas desde março do ano passado, quando foram registrados os primeiros casos de Covid-19 em solo paraense. No entanto, o trabalho da Cipoe não parou e se manteve em constante articulação junto à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e ao corpo técnico das escolas credenciadas.

Acompanhe as dicas de segurança preparadas pela Cipoe para o retorno às aulas: 

- No trajeto entre a casa e a escola, os alunos menores de idade devem estar acompanhados de responsáveis ou andar sempre em grupo, aumentando a segurança durante o percurso;

- Caso professores, funcionários ou alunos observem qualquer movimentação estranha no entorno da escola, devem informar à gestão ou acionar imediatamente a Cipoe, via 190.

- A gestão escolar deve adotar rígido controle de acesso ao interior da escola. Em caso de movimentações suspeitas, deve-se acionar a Cipoe;
- É importante a identificação de pontos vulneráveis dentro do ambiente escolar e no entorno. Também deve haver envolvimento ativo dos colaboradores quanto às medidas a serem tomadas dentro e fora da escola.

- Ainda é necessário manter as medidas de proteção contra a covid-19. O uso da máscara, o distanciamento social e a higienização das mãos continuam sendo importantes; 

- Caso estejam com tosse, febre, dificuldade para respirar e outros sintomas da doença, é recomendável que professores, funcionários e alunos fiquem em casa e evitem transmitir ao virus.

Atuação

Atualmente, 475 escolas estão credenciadas junto à Cipoe, no entanto, o policiamento escolar feito pela unidade atende hoje 370 escolas da rede estadual e 340 da municipal. Uma delas é a Escola Estadual Brigadeiro Fontenele, localizada no bairro da Terra Firme, em Belém.

A escola Brigadeiro Fontenele foi completamente revitalizada no ano passado pelo Governo do Estado e será a primeira da capital a receber o projeto de Supervisão Militar Educacional (Sume) da Polícia Militar. Agora, os mais de 1.600 alunos poderão vivenciar o que ocorre hoje no Colégio Militar Rio Tocantins (CMRio), em Marabá, que foi o primeiro a receber o projeto de supervisão militar e alcançou o melhor índice do IDEB regional em 2020.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

O Círio 2021 está na porta e o Belém quer saber: qual a melhor comida do Círio na sua opinião?

71.4%
28.6%