-
10/06/2020 às 13h44min - Atualizada em 10/06/2020 às 13h44min

Violência contra pessoa idosa ganha debate na internet

O objetivo é atualizar as informações da temática e pedir que a sociedade denuncie as práticas criminosas contra as pessoas idosas

Selma Amaral
Com edição do belem.com.br
É possível fazer as denúncias de situações de violência pelo disque 100, que funciona todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados (Foto: Pixabay)
      
Dia 15 de junho é o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. Sem condições de saírem às ruas, professores, mestres, doutores e representantes da bancada pública que atuam no segmento de defesa e interesses sociais e de saúde da pessoa idosa, estão realizando uma programação nas redes sociais, objetivando atualizar as informações da temática e pedir que a sociedade denuncie as práticas criminosas contra as pessoas idosas.

Os debates também compõem a agenda do “Junho Violeta”, criado para centralizar e intensificar as ações públicas de defesa dos mais velhos.

Nesta sexta-feira (12), ocorrerá o debate virtual (live) sobre o fortalecimento da Frente Nacional das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), que irá substituir os conhecidos asilos mantidos por órgãos públicos, privados ou instituições sem fins lucrativos.

O debate será transmitido pela página da Frente Regional Norte no Facebook, a partir da 17h.

A professora Walquiria Alves, mestra em ensino de saúde e titulada em gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) e representante da Frente Nacional de Fortalecimento a ILPI na região Norte do Brasil, será a mediadora do debate virtual com representantes dos Estados do Pará, Acre, Amapá, Amazonas e Roraima.

O debate desta sexta-feira (12), vai reunir os nomes de Vicente Faleiros, membro da Frente Nacional de Fortalecimento das ILPIs e professor emérito da Universidade de Brasília; Polyana Bezerra, professora adjunta da Universidade do Acre; Maria Aparecida Cortês Machado, presidente do Conselho Estadual da Pessoa Idosa do Amapá; Jorge Wagner Gomes, vice-presidente do Conselho Estadual do Idoso do Amazonas; Jô Nascimento, de Roraima, é psicóloga e mestre em gerontologia pela PUC/SP.

Em matéria publicada na Agência Pará, a terapeuta ocupacional da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Milenne Afonso, representante do órgão no Conselho Estadual, destaca os debates como forma de alertar a sociedade sobre a importância de denunciar os crimes contra os idosos. Para Milenne, a maior violência é o silêncio das pessoas diante os crimes. “Denunciar é preciso, disque 100”, alerta a terapeuta.

O disque 100 funciona todo dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações são nacionais de forma gratuita de qualquer terminal telefônico fixo ou celular. O sigilo do denunciante é mantido pelas autoridades policiais.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.1%
2.8%
2.7%
2.4%
4.6%
14.2%
1.5%
3.1%
1.0%
57.7%