-
03/01/2020 às 17h15min - Atualizada em 03/01/2020 às 17h15min

Ananindeua celebra 76 anos nesta sexta-feira, 03 de janeiro

Shows na Arterial 18 com a cantora Joelma e Super Pop marcam a noite de festa

Andreza Gomes, jornalista do Portal Belém.com.br
Ananindeua celebra, hoje, 76 anos de fundação (Foto: Rodolfo Oliveira - Agência Pará)
 
 
 
   Uma programação especial marcada por Santa Missa, Inaugurações e shows com artistas locais marcam a sexta-feira, 03 de janeiro, o aniversário do município de Ananindeua, que comemora 76 anos de fundação.

História - Os primeiros registros de Ananindeua datam do século XVIII, de 1790, de uma propriedade de engenho que pertencia a um conde chamado Antônio Coma de Melo.

Em 1850 começa a ocupação ribeirinha em uma parte do Rio Maguari Açu, essa ocupação é feita por grande parte de muitos ribeirinhos que fugiram do Movimento da Cabanagem. “O historiador Vicente Salles cita que aquela região Maguari foi toda ocupada justamente por pessoas que estavam ali, fugindo da Cabanagem. Muitos indígenas, ribeirinhos, ex-escravos, que acabaram usando Ananindeua como rota de fuga”, explica o professor e Historiador, Adony Borges.

Mas o desenvolvimento da cidade só começa com chegada da Ferrovia Belém Bragança, que começa a passar ali no ano de 1883. É possível perceber que com a inauguração do trecho dessa ferrovia Belém Bragança, “o município de Ananindeua acaba se destacando como sendo um local de parada estratégica onde fazia se manutenção dos trens e com isso surge pequena vila de operários, todos dormiam em Ananindeua para depois seguir para Belém para o trabalho”, conta.



O nome da cidade é devido às várias influências indígenas e também às várias árvores que existiam um fruto chamado Ananin. “Este fruto não era comestível, mas era extraído dele um líquido viscoso que servia de cola, utilizado nos barcos e canoas.

Saneamemto – A jornalista Socorro Costa mora em Ananindeua, desde abril de 2003, no bairro de Águas Lindas. Ela conta que nestes 76 anos de sua cidade daria mais saneamento. “Além do saneamento e daria uma gestão pública que olhasse e trabalhasse pela melhoria de todos os bairros, e não apenas por uma pequena parcela”, pontua.

Ela mora na Rua Celestino Rocha, que fica a 2 km da BR 316, mas bem próximos da Área de Proteção Ambiental, mais precisamente do Lago Água Preta, um dos mananciais de Belém. “É uma área tranquila, bom clima, mas com pouca infraestrutura urbana. Não há supermercado e nem farmácia por perto. Esses serviços ficaram mais próximos com o shopping Metrópole”, conta.

“Uma rua larga, mas que devido à falta de pavimentação se transforma em um "piscinão", dificultando até a passagem de veículos. Agora imagina caminhar por uma rua assim, tendo uma sequela na medula, que reduz a mobilidade”. Esse é o desafio que a jornalista enfrenta todos os dias, quando sai de casa e precisa caminhar até a parada de ônibus, outro serviço precário no bairro.

Socorro Costa acrescenta ainda que Ananindeua deveria ser referência em vários aspectos, por estar mais próximo à capital, por ter um distrito industrial, condições de transporte terrestre e fluvial, e ainda várias áreas de conservação ambiental.
“Tem potencial para melhorar muito. Faltam, apenas, na minha avaliação, seriedade, competência e inteligência na gestão, para transformar todo esse potencial em melhoria da qualidade de vida da população”, finaliza a jornalista.


Cultura – O poeta de Ananindeua, Joaquim Alfredo Guimarães Garcia, mas conhecido como Alfredo Garcia, 59, conta se fosse o gestor municipal da sua cidade, organizaria uma Festa Literária na cidade. “Sou jornalista e poeta, e já usei em algumas crônicas a cidade de Ananindeua. Boa parte das crônicas e poesias foram publicadas no Jornal O Liberal e Amazônia durante oito anos, de 2000 a 2008”, detalha.


Garcia promoveu em 2016 o projeto Papo de Letras, em 10 escolas municipais e Primeira Palavra, em uma escola estadual. “Eu daria 73 horas de cultura para Ananindeua, neste dia 03 de janeiro. Aqui temos muitos e bons artistas entre eles Pedrinho Cavalléro, Márcio Montoril e José Arteiro.  Moro há 29 anos na cidade Nova 07”, finaliza o escritor.

Show- Logo mais às 21 horas, a cantora Joelma sobe ao palco do show que marca as comemorações dos 76 anos e quem não irá perder é estudante Matheus Freire, que é fã número 01 da cantora Joelma. “Pelo quarto ano eu participo das comemorações do aniversário de Ananindeua. Estou ansioso para vê-la no palco, cantar e dançar. Vou curtir muito com os amigos e pessoas do meu fã clube do qual faço parte. Será maravilhoso”, comemora.  


Ensino - Ananindeua também virou um polo de educação e ensino. O público pode encontrar faculdades instaladas ao longo da BR 316, como a Unama, Fama e mais nova, a Faculdade Católica de Belém, criada em 2016. Segundo o diretor geral da faculdade, cônego Vladian Alves, o espaço já era mantido com a formação para os padres do Regional Norte II. “Os cursos de filosofia, teologia que sempre primam pela qualidade e formação humana e espiritual”, explica.

O Cônego afirma ainda que a Faculdade Católica é um espaço de informação e educação para que aqueles que ali passem a frequentar hoje, seminaristas, leigos e leigas. É um espaço também pra formar bons cidadãos e que se insira na nas margens de diversas comunidades e ajudem também no crescimento local”, finaliza.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.7%