-
25/01/2020 às 19h00min - Atualizada em 25/01/2020 às 19h00min

Marituba e Belém recebem ações de mobilização contra a hanseníase

Em Marituba, a programação ocorre na praça Matriz e, em Belém, na praça da República, ambas neste domingo (26)

Agência Pará e Agência Belém
Com edição do belem.com.br
A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, que afeta os nervos e a pele (Foto: Alex Ribeiro/Agência Pará)
      
A mobilização do Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, comemorado anualmente em janeiro, ocorrerá, neste domingo (26), das 8h às 12h, na Praça Matriz de Marituba, com a oferta de consultas com médicos hansenólogos, para a avaliação clínica de casos suspeitos de hanseníase.

A organização é da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Controle da Hanseníase e Unidade de Referência Especializada Marcello Cândia, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Marituba e o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan).

A programação do Dia D de Mobilização contra a Hanseníase vai começar com uma caminhada às 8h, saindo da Praça Jarbas Passarinho, no bairro Dom Aristides, rumo à Praça da Matriz, onde estarão instaladas três unidades móveis da Sespa com consultórios médicos. Haverá, ainda, emissão de segunda via de certidão de nascimento pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

O coordenador estadual de Controle da Hanseníase, Bruno Pinheiro, informou que as pessoas passarão por uma triagem, sendo encaminhados para os médicos apenas os casos com lesões suspeitas da doença. Ele ressaltou que haverá também enfoque nas famílias dos diagnosticados nos últimos 10 anos. “Para isso, está havendo uma mobilização dessas famílias pela Secretaria Municipal de Saúde”.

Já no domingo à tarde, haverá uma divulgação da campanha no Mangueirão, durante a partida de futebol entre o Clube do Remo e Carajás. As equipes vão entrar em campo segurando uma faixa alusiva à campanha e mensagens educativas serão transmitidas por meio do telão. “O objetivo é chamar a atenção dos torcedores para os sinais e sintomas da hanseníase, que, muitas vezes, passam despercebidos, e enfatizar que a doença tem cura”, disse Bruno Pinheiro.

Sinais e sintomas - A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, que afeta os nervos e a pele. Os principais sinais e sintomas da hanseníase são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo, com perda e alteração de sensibilidade ao quente ou frio, ao toque e à dor; áreas com diminuição dos pelos e suor; dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo de braços e pernas; inchaço de mãos e pés, dificuldade de fechar os olhos, perda de força em mãos e pés; feridas na planta dos pés; caroços no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza diagnóstico e tratamento por meio da Rede Básica de Saúde. O tratamento dura seis meses nos casos iniciais e 12 meses nos casos mais complicados, e os medicamentos são distribuídos gratuitamente. As pessoas em tratamento não transmitem a doença e podem levar uma vida normal no trabalho, na família, na escola e na sociedade.

Para casos que requeiram intervenções de média complexidade, o Estado dispõe de três Unidades de Referência Especializadas (URE), para onde os pacientes são encaminhados: URE Marcello Cândia, em Marituba; URE Demétrio Medrado, em Belém, e ainda em Santarém. Todas elas, além do diagnóstico e tratamento, oferecem reabilitação aos pacientes e funcionam adequadamente, sem lista de espera para atendimento.

Belém
Em Belém, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), realiza, também neste domingo (26), diversas atividades na praça da República, das 8h às 12h. Pela campanha Janeiro Branco haverá oficinas infantis, varal de emoções, distribuição de abraços, rodas de conversas psicoeducativas, caminhada da saúde mental pela praça e atividades de relaxamento e alongamento. Em alusão ao Janeiro Roxo, haverá orientação em saúde e avaliação de manchas na pele.

Até o fim do mês a programação do Janeiro Branco contará com atividades e palestras ministradas por profissionais da saúde nos Centros de Atenção Psicossocial (Capss) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital. Para o Janeiro Roxo, a Sesma promoverá nas UBSs, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ações educativas aos usuários em sala de espera, projeção de filmes e vídeos, palestras para pessoas em tratamento e para os grupos gerais haverá busca por manchas de pele suspeitas e formas de prevenção. Cada unidade de saúde realiza sua própria programação.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.0%
1.5%
2.9%
1.0%
58.0%