-
12/10/2020 às 10h58min - Atualizada em 12/10/2020 às 10h58min

Vai comprar presentes na internet neste Dia das Crianças? Cuidado

Consumidor deve estar atento a ofertas via e-mail e aparência de sites

Agência Brasil
Com edição do Belém.com.br
Ao receber uma mensagem suspeita, o ideal é apagá-la. (Foto: Agência-Brasil / Arquivo-pessoal)
    
O Dia das Crianças, celebrado no Brasil em 12 de outubro, é considerado uma das datas mais importante para o comércio. Neste período, aumenta a procura na internet por produtos voltados ao público infantil, porém os pais devem redobrar a atenção nas compras online. No ambiente digital, práticas como a chamada phishing representam 90% dos golpes. A partir de falsos e-mails e páginas da internet, dados pessoais e financeiros das pessoas são roubados.


No Brasil, no segundo trimestre do ano, entre abril e junho, mais de 9,5 mil ataques de phishing foram reportados. Para não entrar nessas estatísticas de internautas que foram vítimas de golpes, o gerente de segurança da Certisign, Oscar Zuccarelli, destaca algumas orientações para a navegação segura na internet.

Aparência das páginas

Umas das recomendações é observar atentamente a aparência do site antes de inserir qualquer informação. “Em muitos casos, os criminosos virtuais criam páginas idênticas aos e-commerces ‘originais’. Por isso, é muito importante que o consumidor preste atenção aos pequenos detalhes da página, como erros ortográficos, a identidade visual do site e a própria URL. Uma letra trocada ou uma fonte ligeiramente diferente podem ser indícios de fraude”, explica Oscar Zuccarelli.

Dispositivos de segurança

Outro ponto fundamental a ser observado pelo consumidor na internet diz respeito aos dispositivos de segurança dos próprios sites. Um deles é verificar a presença do Certificado Digital SSL (Secure Socket Layer), dispositivo que faz a criptografia (comunicação segura) das informações trafegadas no site. A presença desse certificado é identificada pela letra “S” depois da sigla HTTP na barra de endereços, além de um cadeado fechado no canto esquerdo do navegador. 

"Primeiro, é preciso olhar para a barra do navegador e ver se aquele link é de fato daquela empresa que você está procurando.  Depois, olhar se tem o cadeado com o certificado digital. Se você está acessando um site onde você não tem um cadeado, que é o S do HTTP, ele tá dizendo que a comunicação entre o seu dispositivo e aquela empresa não está criptografado. E trafegar por um site sem que seus dados estejam criptografados é um risco grande, você compromete a sua segurança na rede", afirma o gerente de Segurança.

Além de observar a certificação digital, o cliente pode clicar no cadeado na barra de endereços de navegador web e verificar qual é o domínio protegido. “É comum que os fraudadores coloquem um Certificado SSL na página, mas referente a outro domínio, que não é o da empresa na qual o consumidor faz a compra. Por isso, é importante checar, porque nem sempre só conferir a presença do cadeado ou do selo de segurança é o suficiente”, aponta.

Ofertas por e-mail e redes sociais

Além dos sites de e-commerce (venda online), os ataques também são comuns via e-mail e por meio das redes sociais. O consumidor deve desconfiar de ofertas muito atraentes recebidas por e-mail ou WhatsApp. "Antes de clicar nos links inseridos no e-mail, verifique na própria loja virtual de onde teria partido essa oferta e, consequentemente, se a promoção é verdadeira”, afirma Zuccarelli. 

Sempre que o consumidor receber uma mensagem suspeita, o ideal é apagá-la da caixa de email sem nem abrir. Nas redes sociais, a tentativa pode consistir em atrair a atenção do consumidor com ofertas que parecem muito personalizadas.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.7%
2.4%
4.5%
14.2%
1.4%
3.1%
1.0%
57.7%