-
26/02/2021 às 10h30min - Atualizada em 26/02/2021 às 10h30min

Auxílio Emergencial volta em março, com parcelas de R$ 250

Informação foi dada pelo presidente da República Jair Bolsonaro

Agência Brasil
Com edição do Belém.com.br
Segundo o presidente da República, o benefício deve ser pago por quatro meses. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
    
Durante live semanal desta última quinta (25), o presidente da República Jair Bolsonaro afirmou que o valor do novo auxílio emergencial a ser proposto pelo governo será de R$ 250. Segundo Bolsonaro, o pagamento do benefício deve começar em março, por um período total de quatro meses.

"A princípio, o que deve ser feito? A partir de março, por quatro meses, R$ 250 de auxílio emergencial. Então, é isso que está sendo disponibilizado, está sendo conversado ainda, em especial, com os presidentes da Câmara [Arthur Lira (PP-AL)] e do Senado [Rodrigo Pacheco (DEM-MG)]”, disse o presidente.

A expectativa é que os quatros meses complementares de auxílio possam fazer a "economia pegar de vez". A renovação do benefício ainda precisa ser proposta pelo governo ao Congresso Nacional e, em seguida, aprovada pelos parlamentares.

O novo auxílio emergencial deve substituir o auxílio pago ao longo do ano passado, como forma de conter os efeitos da pandemia da covid-19 sobre a população mais pobre e os trabalhadores informais.

O auxílio emergencial em 2020 contou com parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (no caso de mães chefes de família), por mês, para cada beneficiário. Projetado para durar três meses, o benefício foi estendido para um total de cinco parcelas.

Em setembro do ano passado, foi liberado o Auxílio Emergencial Extensão, de R$ 300 (R$ 600 para as mães chefes de família), com o pagamento de quatro parcelas mensais. O último pagamento do benefício ocorreu no final de janeiro. Cerca de 67 milhões de pessoas foram contempladas com o programa.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.0%
1.4%
3.0%
1.1%
57.8%