-
04/12/2021 às 17h00min - Atualizada em 04/12/2021 às 17h00min

Período de chuva exige cuidado redobrado para evitar a dengue

De janeiro a outubro deste ano foram confirmados 2.493 casos de dengue no Pará

Redação Belem.com.br
Para evitar a doença, os lugares que podem ser propícios para os mosquitos devem estar sempre bem higienizados. (Foto: Divulgação/Pixabay)
          
A chegada do famoso Inverno Amazônico acende uma luz amarela para a prevenção e conscientização sobre a dengue. O cuidado, que deve ser mantido o ano inteiro, se intensifica principalmente nesse período em que a chuva aumenta na região, tornando o ambiente de casa um bom lugar para a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor do vírus da dengue.

De acordo com os dados do 9º Informe Epidemiológico sobre Dengue, Chikungunya e Zika, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde do Pará
, de 1º de janeiro a 30 de outubro de 2021, foram confirmados 2.493 casos de dengue no Pará, representando um aumento de 36,67% em relação ao mesmo período de 2020 quando foram confirmados 1.824 casos da doença.  

Esses dados, levantam um alerta para as medidas preventivas que devem ser adotadas para evitar que o mosquito se multiplique, já que para que isso ocorra é necessário apenas um pouco de água parada, como explica a infectologista do Hapvida, Ana Raquel Seni. “O mosquito precisa de água parada para se proliferar, ele deposita os ovos nas paredes dos criadouros como caixas d água, vasos de planta,  calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros. Os ovos também conseguem sobreviver nessas superfícies em média até 1 ano, e conseguem ficar ativos assim que encontra umidade”, ressalta.  

Para evitar essa propagação, os lugares que podem ser propícios para os mosquitos devem estar sempre bem higienizados. “É importante a limpeza frequente das casas, não deixando água parada em pneus, vasos de plantas, garrafas, caixas d’água ou outros recipientes que possam permitir a reprodução do mosquito. Manter lixeiras bem tampadas, ralos limpos e com aplicação de tela. Usar lonas esticadas para cobrir materiais de construção são outros cuidados para evitar o acúmulo de água”, afirma a infectologista.  

De acordo com a especialista “normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Em alguns casos, também apresenta manchas vermelhas na pele. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas (gengivas e nariz)”. Ela ainda conta que a dengue pode ser assintomática em cerca de 15% dos casos, por isso é importante ficar atento aos sinais que o corpo apresenta.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-