-
-
11/11/2019 às 08h54min - Atualizada em 11/11/2019 às 08h54min

Festa Literária apresenta ao Pará as multivozes santarenas

As multivozes entram em cena novamente agora em Santarém

belém.com.br
Rodrigo Avelar (SECULT - Agência Pará)
A Festa Literária de Santarém, que integra a programação da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, abriu oficialmente no sábado (9) (Foto: Agência Pará)
A Festa Literária de Santarém, que integra a programação da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, abriu oficialmente neste sábado (09/11) movimentando a cidade desde o primeiro dia.

“Vi em sonhos encantados, teus eternos namorados: Amazonas, Tapajós, paralelos no caminho, disputando o teu carinho, numa luta tão feroz”. É assim que o maestro santareno, Wilson Fonseca, cantou em vida seus amores pela Pérola do Tapajós que a partir deste sábado (09/11) é anfitriã da Festa Literária: evento que integra a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, realizada pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult).


E as multivozes entram em cena novamente na programação que reúne os estandes de livros, palestras, os papos-cabeça e muitas atrações musicais, e audiovisuais, escritores locais além da Arena Multivozes, valorizando, principalmente, a produção local. A coordenadora da Festa Literária, Maria do Céu Braga, faz um balanço sobre o primeiro dia da Festa: “Nós tivemos um grande público visitante já no primeiro dia, que ultrapassou até mesmo as expectativas. Desde à tarde, os expositores estão todos com seus estandes cheios e o Cred Livro já bastante consumido em poucas horas”, afirmou a coordenadora.

Além de Belém, a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro já passou por outras cidades como Marabá e Parauapebas e ainda será realizada em dezembro em Bragança. Agora, chega a Santarém como parte da política de descentralização e de acesso ao Pará profundo. O Secretário-Adjunto de Estado de Cultura, Bruno Chagas, que representou o Governo do Pará na Solenidade de Abertura, entende que esta descentralização faz parte da missão de valorização regional:

“Chegamos agora a Santarém para fazer essa Festa Literária que não é voltada apenas à leitura, mas principalmente para a formação de opinião, porque nosso estado é muito grande e muito plural. E estar presente aqui em Santarém faz parte desse conceito, faz parte desse conceito de valorização da nossa região, do nosso povo”, conclui o secretário.

Público

O primeiro dia da Festa Literária foi marcado pela movimentação das multivozes santarenas. A aposentada, Tânia Maria Souza, veio acompanhada do marido e das filhas e conta com entusiasmo a vinda à Festa Literária santarena: “Estou achando ótima, maravilhosa, muito bonita a Festa, bem diversificada. Tô de olho em tudo!”. Já a estudante de antropologia da Universidade Federal do Oeste do Pará, Amanda Poça, garantiu sua leitura sobre botânica amazônica logo que chegou e conta que vem nos próximos dias:

“Essa programação tem umas mesas bem interessantes sobre temas importantes para a literatura, movimentos sociais, que eu curto bastante e pretendo vir.”

Amanda, que é natural de Belém e veio pela primeira vez na Festa Literária de Santarém, também chama atenção para a necessidade do acesso à leitura: “Livro é algo que tem que ser democratizado, para a gente consumir mais, se não, não faz sentido.” Amanda conclui.


Serviço: A programação começou oficialmente no último sábado (09/11) e vai até o outro domingo (17/11), no Espaço Pérola do Tapajós. A entrada é gratuita.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Belém tem mais de 200 praças. Você concorda que a praça, ainda é o lazer mais barato para as famílias em Belém?

100.0%
0%
-
-
-
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Dúvidas? Nos envie uma mensagem explicando a informação que você precisa!