-
17/03/2020 às 09h33min - Atualizada em 17/03/2020 às 09h33min

Governo do Pará publica decreto sobre enfrentamento ao coronavírus

Entre as medidas está a restrição de eventos e reuniões públicas e privadas com público acima de 500 pessoas

Agência Pará
Com edição do belem.com.br
Por enquanto, as aulas na rede estadual de ensino, seguem normalmente (Foto: Marcelo Seabra/ Agência Pará)
       
Na tarde desta segunda-feira (16), o governador do Pará,  Helder Barbalho, assinou um decreto que dispõe sobre as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus (COVID-19), para os próximos 15 dias, no âmbito do Estado do Pará. 

O decreto regula uma série de medidas, entre elas a restrição de eventos e reuniões públicas e privadas acima de 500 pessoas, a dispensa de servidores para que realizem suas atividades home office quando a mesma puder ser realizada de modo eletrônico ou telefônico, e a dispensa de servidores que integram o grupo de risco.

"Vamos publicar, ainda nesta segunda-feira (16), por meio do Diário Oficial, o decreto que restringimos todo e qualquer evento que tenha mais de 500 pessoas. Os servidores públicos com mais de 60 anos /ou, que estejam dentro do público de maior fragilidade, de maior exposição, que possam ser orientados a trabalhar de suas casas, mas mantendo serviços essenciais. Isso quer dizer que, os serviços de educação, até o momento, não serão suspensos. Vamos aguardar e se eventualmente isto for necessário, revisaremos essa decisão", disse Helder Barbalho.

Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) será a responsável por realizar medidas, em parceria com os demais órgãos de fiscalização, como por exemplo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela fiscalização de portos, aeroportos e fronteira.

"A Sespa vai atuar no monitoramento dos aeroportos, nos terminais rodoviário e hidroviário, nos portos e em todo o lugar que tiver circulação de pessoas que estejam vindo de outros países ou que estejam vindo de outros estados. A Secretaria de Saúde do Estado, em diálogo com as secretarias municipais, estarão com estrutura, junto com a Anvisa, que é o órgão responsável por este trabalho, mas nós estaremos de forma colaborativa, trabalhando conjuntamente para assegurar e garantir que haja uma fiscalização para identificar pessoas que tenham os sintomas, que estas pessoas sejam imediatamente encaminhadas para a realização do plano de contingência já feito pela Sespa desde janeiro passado, que nos deixam a certeza de que o Estado do Pará estará em condições de atender ao momento em que, eventualmente, tenhamos casos confirmados de Coronavírus", explicou o governador.

Leia o decreto na íntegra:

O governador do Estado do Pará, no uso das atribuições que lhe confere o art. 135, incisos III, da Constituição Estadual, e considerando o reconhecimento, por parte da Organização Mundial da Saúde, como pandemia o surto do corona vírus Covid-19; e considerando o disposto na Lei Federal n° 13.979, de 06 de fevereiro de 2020;
DECRETA:
Art. 1º  Este Decreto dispõe sobre as medidas de enfrentamento, no âmbito do Estado do Pará, à pandemia do corona vírus COVID-19.
Art. 2º  Fica suspenso, pelo prazo de 15 (quinze) dias, o seguinte:
 I – o licenciamento e/ou autorização para eventos, reuniões e/ou manifestações, de caráter público ou privado e de qualquer espécie, com audiência maior ou igual a 500 (quinhentas) pessoas;
 II – a utilização de ponto biométrico nos órgãos e/ou entidades da administração pública estadual direta e indireta, devendo ser adotado outro meio que ateste a frequência, na forma do Decreto  Estadual n° 333, de 04 de outubro de 2019;
 III – deslocamento nacional ou internacional de servidores públicos, empregados públicos e colaboradores eventuais da administração pública estadual, salvo autorização expressa do Chefe da Casa Civil da Governadoria;
 IV – atendimento presencial nos órgãos e entidades da administração pública estadual, quando este puder ser mantido de modo eletrônico ou telefônico; e
 V – agendamento de novos eventos promovidos ou apoiados pelo Poder Executivo Estadual, ainda que fora do prazo mencionado no caput deste artigo, enquanto estiver vigente o presente Decreto.
Art. 3°  Os titulares dos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta poderão, a seu critério, autorizar:
I – a realização de teletrabalho, especialmente aos servidores e empregados públicos que:
a) tenham idade maior ou igual a 60 (sessenta) anos; 
b) apresentem doenças respiratórias crônicas, doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, hipertensão ou com imunodeficiência, devidamente comprovadas por atestado médico público ou privado; ou
c) apresentem febre ou sintomas respiratórios (tosse seca, dor de garganta, mialgia, cefaleia e prostração, dificuldade para respirar e batimento das asas nasais), independente de atestado médico.
Parágrafo único. As Secretarias de Estado de Saúde Pública (SESPA) e de Planejamento e de Administração (SEPLAD) deverão publicar protocolo de atendimento aos servidores e empregados públicos que se ausentarem na forma do inciso II do caput deste artigo, especialmente para fins de investigação e controle epidemiológico.
Art. 4°  Observado o disposto neste Decreto, fica mantido o expediente em todos os órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, incluindo-se a rede pública estadual de ensino.
Art. 5°  Respeitadas as atribuições da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESPA) deverá adotar medidas complementares de controle sanitário nos portos, aeroportos, terminais rodoviários e hidroviários do Estado do Pará.
Art. 6° Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação e poderá ser revisto a qualquer tempo.

Aulas da rede estadual seguem normalmente

Apesar das medidas anunciadas nesta segunda-feira (16), ficou determinado que, até o momento, não haverá alterações no calendário letivo da rede estadual de ensino, com as aulas prosseguindo normalmente.

A secretária adjunta de Ensino da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Regina Pantoja, confirmou que, além de panfletos informativos, os alunos têm acessos a vídeos e outros materiais informativos sobre como prevenção da doença. "Todas essas orientações são pactuadas entre Sespa e Seduc, e até o momento as aulas continuam ocorrendo normalmente, sem suspensões. Tudo o que está sendo feito é, inclusive, para tranquilizar a população estudantil e suas famílias", reiterou Regina Pantoja.




 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.6%