-
05/09/2019 às 10h16min - Atualizada em 05/09/2019 às 10h16min

Escritor paraense lança livro em São Paulo

O lançamento foi na exposição de Sebastião Salgado

Portal Belém
Paulo Roberto em sessão de autógrafos da obra Encurralados na Ponte - O massacre dos Garimpeiros de Serra Pelada (Foto: Mário Quadros).

O escritor paraense Paulo Roberto Ferreira lançou, nesta quarta-feira (04), a obra “Encurralados na ponte - O massacre dos garimpeiros de Serra Pelada”, no Sesc Av. Paulista, em São Paulo. O lançamento foi na programação integrada à exposição “Gold - Mina de Ouro Serra Pelada”, com fotografias de Sebastião Salgado. 

 

Paulo Roberto foi convidado ao evento para apresentar sua obra sobre Serra Pelada. Para o escritor, lançar o livro em um evento tão importante quanto a exposição, é levar para o Brasil essa história que, segundo ele, estava no esquecimento. “É permitir que pessoas saibam como se realizam esses grandes projetos na Amazônia, que excluem a população local. É a oportunidade de mostrar o que aconteceu e o que acontece hoje, como os incêndios que estamos vivendo na região, e, sobretudo, lá na própria área do sudeste paraense. Por exemplo, a terra indígena Mãe Maria, em Bom Jesus do Tocantins, município vizinho a Marabá, que envolve 16 aldeias dos gavião. Lá, semana passada, estava pegando fogo, exatamente no período em que eu estava lá, as aldeias estavam ardendo em função das queimadas desordenadas na região. É a oportunidade de botar em pauta nacional os problemas da região e trazer essa história que ocorreu há 30 anos”, afirmou.

 

Antes de São Paulo, o autor lançou a obra em Belém, Rondon do Pará e Marabá. Para ele, lançar o livro nessas localidades foi uma forma dar satisfação à população, aos garimpeiros entrevistados e às instituições onde ele fez suas pesquisas. “Era importante lançar o livro na região para que as pessoas, sobretudo pessoal da universidade de Rondon e de Marabá, pudessem ter a oportunidade de conhecer o trabalho de pesquisa feito na região, então é dar retorno do trabalho àqueles que são participantes importantes para esta obra”, disse o autor.

 

Ivan lima, um dos personagens citados na obra de Paulo Roberto, também esteve presente no lançamento em São Paulo e disse que foi uma satisfação enorme participar do evento. “Vi novamente Serra Pelada funcionando através dessas fotos. Reconheci o Alumínio (amigo que trabalhou com ele em Serra Pelada), e outro cara que morava na Serra Pelada e ainda está vivo. Vou até levando as fotos que tirei das fotografias para mostrar para ele. Bonita a exposição. Nunca vi uma exposição tão bonita como a que eu encontrei aqui em São Paulo. Só tenho a agradecer ao meu amigo Paulo Roberto, que me convidou”, detalhou Ivan.

 

Etevaldo Arantes, também citado na obra, esteve no lançamento e afirmou que reconheceu amigos nas fotografias de Sebastião Salgado, como Pear, Jamaica, Alumínio e Edmar. “Além de ver a fotografia dessas pessoas, o importante é estar divulgando a história de Serra Pelada, é poder estar falando a verdadeira história, porque a mídia não diz a verdade. O filme lançado é altamente fictício, então as pessoas acabam criando uma ideia sobre Serra Pelada, sobre o garimpeiro, totalmente ao contrário da realidade. O garimpeiro é um cidadão de bem, não é o monstro que falam. É simplesmente um trabalhador que vive em busca do sustento. Estar aqui, desmistificando isso, é uma satisfação enorme”, concluiu.

 

A exposição, que começou dia 17 de julho e vai até dia 03 de novembro, deste ano, reúne fotografias feitas em Serra Pelada, pelo renomado fotojornalista Sebastião Salgado. Serra Pelada ficou conhecida pela exploração de ouro na década de 1980.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

O que mais você gostou no Círio 2021

0%
5.3%
52.6%
31.6%
10.5%