-
-
27/06/2020 às 17h00min - Atualizada em 27/06/2020 às 17h00min

Pavulagem realiza segundo domingo de arrastão virtual

Programação será transmitida ao vivo pelo Youtube, neste domingo (28), às 10h, com diversos convidados especiais

Assessoria de Comunicação do evento
Com edição do belem.com.br
O projeto traz como tema deste domingo o arquipélago do Marajó (Foto: Dah Passos/ Divulgação)
     
Contando com as participações musicais de Adamor do Bandolim, Silvan Galvão e Sabah Moraes, ocorre neste domingo (28), às 10h, a segunda live do projeto “Arrastão do Pavulagem, Arraial do Futuro”. A novidade é que a banda estará transmitindo de um novo local, bem na beira do rio. O público poderá assistir à live no Youtube (/arraialdopavulagemoficial), no Facebook da Equatorial Pará (@equatorial.pa), patrocinadora do projeto, e na Tv Cultura.
 
Pensado para ir além de uma live musical, cumprindo por meio das redes social o seu maior papel que é o de fortalecer a cultura popular da Amazônia, o projeto traz como tema deste domingo o arquipélago do Marajó e o encontro cultural deste com outras cidades paraenses.

“Vamos falar dessa síntese das culturas amazônicas, que é uma característica do Pavulagem. E fortalecer o apoio à campanha solidária #MarajóVivo”, explica Felipe Cortez, diretor artístico do projeto.
 
A campanha é uma parceria entre o Museu Goeldi, o Museu do Marajó, a Prelazia do Marajó, a Diocese de Ponta de Pedras, a Irmandade do Glorioso São Sebastião, a Fundação pela Inclusão do Marajó, o Observatório de Direitos Humanos e Justiça Social do Marajó, vinculado à UFPA, e o Instituto Iacitata. Eles formaram uma rede de apoio aos mais vulneráveis no combate ao coronavírus, tanto fornecendo informação, como materiais de limpeza, alimentos e renda para as comunidades marajoaras. As doações podem ser feitas pela internet (www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-marajovivo-marajo-vivo).
 
Para o presidente da Equatorial Energia Pará, Marcos Almeida, o patrocínio da empresa no Arraial tem um significado importante neste momento de reinvenção. “É de extrema importância investir também em cultura nesse cenário em que as pessoas têm que resguardar a saúde, ficando em casa se puderem. E sabemos que o Arraial do Pavulagem é uma das manifestações culturais de maior sucesso no país, por isso não poderíamos deixar de incentivar que o movimento se reinventasse para fazer a alegria dos paraenses mesmo nesse período de distanciamento social”, avalia Marcos.

CONVIDADOS
 
Os convidados musicais não foram escolhidos à toa. São artistas com quem o Arraial do Pavulagem já teve uma história, com quem já compartilhou bons momentos e iniciativas inovadoras. Como é o caso de Adamor do Bandolim e Sabbá Moraes, com quem têm uma relação de admiração mútua e sempre gostaram de dividir o palco; assim, como Silvan Galvão, o criador do Carimbloco, que leva música paraense para o carnaval carioca, e já recebeu o Arraial do Pavulagem para esta programação no Rio de Janeiro.
 
E haverá ainda muitas outras participações especiais gravadas em vídeo, como no domingo passado. São eles, o mestre Piticaia, com quem Ronaldo Silva se apresentou durante um festival de carimbó em Cachoeira do Arari e que terá essa parceria mostrada durante a live; e os mestres Zampa e Damasceno, de Salvaterra, que também trarão seus depoimentos como grandes perpetuadores da cultura popular, junto a apresentações musicais.
 
Alguns pesquisadores e autores paraenses também tem feito parte da construção desta programação inédita. E para este final de semana, o público vai ter a oportunidade conferir a participação da pesquisadora Josebel Fares falando sobre  a poética marajoara na obra de Dalcídio Jurandir; a pajé Zeneida Lima dividindo com o público sua paixão pela vida, pela natureza e a cultura amazônica; e o pesquisador Edgar Chagas Junior abordando a festa de São Sebastião, de Cachoeira do Arari.
 
BATALHÃO DA ESTRELA
 
Importante destacar que, com a pandemia, a sede do Instituto Arraial do Pavulagem está fechada, e sua equipe trabalha remotamente. Isso também tornou inviável a realização de nossas oficinas, realizadas anualmente nas linguagens da Dança, Percussão e Artes Circenses; além da preparação com nosso instrutor de canto, Allan Carvalho, pela qual passa todo o Batalhão de Estrelas. Sem poder realizar a formação, quem já participou de alguma dessas oficinas em anos anteriores foi chamado para realizar ensaios virtuais.
 
Foram abertas quatro chamadas - toda quinta-feira, às 20h, de 4 a 25 de junho - para formar quatro grupos de ensaio. Cada grupo ensaiou duas músicas, através de video-aulas com nossos instrutores; e depois gravaram em casa sua apresentação. Tudo isso foi reunido em videoclipes, que são exibidos durante as nossas lives. Além de músicas conhecidas, duas inéditas serão gravadas para exibir nos próximos domingos.
 
#VIVAMESTRES
 
O Arraial do Pavulagem criou sua própria campanha solidária para arrecadar fundos de apoio aos mestres de cultura popular, que ao longo das últimas décadas foram seus parceiros musicais e fontes de inspiração. “Com a pandemia, a gente sabe que muitos deles estão privados de suas fontes de renda. Vamos tentar arrecadar o máximo de doações possível e distribuir entre eles”, diz Walter Figueiredo, membro da diretoria do Pavulagem. As doações podem ser feitas virtualmente (www.vakinha.com.br/vaquinha/viva-mestres).
 
+ LIVES
 
A programação do “Arrastão do Pavulagem, Arraial do Futuro” iniciou no último sábado (20/06), com o bate-papo “Oralidades” e teve a sua primeira live no domingo (21/06), transmitida direto dos estúdios da TV Cultura Pará. E ainda mais dois domingos de live em julho. A terceira live (05/07) será em torno da campanha #VivaMestres, mostrando como os mestres influenciaram e ainda influenciam a construção do Pavulagem. A última live (12/07) será sobre o “Brincante do Futuro”, abordando as novas gerações que são formadas dentro do Instituto Arraial do Pavulagem. Encerrando, ainda, com a “Derrubada do Mastro”, que é o fechamento da quadra junina e a renovação do ciclo da cultura popular.
 
PARA QUEM PERDEU
 
Realizado desde 2012, pela primeira vez, o “Oralidades” ocorreu em forma de Live, no último dia 20, pelo Facebook. Contamos com a mediação de Edgar Chagas Júnior, que faz parte da diretoria do Instituto e tem diversas pesquisas relacionadas ao Arrastão do Pavulagem, e com os professores Ima Vieira, Aldrin Figueiredo e Ivânia Neves. Eles abordaram o contexto atual para a cultura popular, a Amazônia, os saberes da floresta, passeando ainda pela história do Arraial do Pavulagem e vislumbrando como seria a construção de um Arraial do Futuro. O bate-papo e a primeira live, do último dia 21, continuam disponíveis para quem quiser assistir no Facebook do Pavulagem.  (www.facebook.com/watch/?v=710281169734456).


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você é a favor do isolamento social?

52.8%
46.6%
0.7%
-
-
-