-
28/08/2020 às 16h35min - Atualizada em 28/08/2020 às 16h35min

Escolas particulares se preparam para voltar às aulas em 1º de setembro

Desde o dia 18 de março as instituições estão com as atividades presenciais suspensas

Marcus Passos
Com edição do Belém.com.br
As instituições devem criar uma sala de acolhimento para casos de infecção pela covid-19. (Foto: Suami Dias/GovBA)
    
Nesta sexta-feira (28) o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Pará (Sinepe) anunciou alguns protocolos sanitários e estratégias pedagógicas para o retorno das aulas presenciais a partir do dia 1 de setembro. 
Desde o dia 18 de março as instituições estão com as atividades presenciais suspensas.

Segundo a presidente do Sinepe, Beatriz Padovani, as medidas estão sendo tomadas, a exemplo da mudança nas metodologias do ensino infantil.  “As escolas vão manter uma higiene constante, de modo que não há nenhum indicativo que as crianças vão contrair o vírus na instituição e levar para dentro da casa. As escolas não tendem a ser um vetor para as famílias”, afirma.

Algumas regras são comuns para todas as instituições, como: distanciamento de no mínimo um metro entre as carteiras; horários diferenciados de entrada, intervalo e saída; e protocolo de higienização obrigatório, como o uso de máscara, álcool em gel, lavagem das mãos e medição de temperatura.

Apesar da autorização do governo para a volta das aulas presenciais a partir da próxima terça-feira (1), cada entidade vai ter liberdade para decidir se vai retornar ou não. A expectativa, na visão do Sindicato, é que esse primeiro dia seja um momento de acolhimento e orientação para famílias. 

Por conta do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), havia uma pressão maior por parte desses alunos, explica Beatriz Padovani. “Nesse primeiro momento iremos fazer uma avaliação diagnóstica para nivelar os alunos que estejam atrasados no ensino de conteúdo. Além disso, para atender os 25% de lotação estabelecidos pelo governo, vamos diminuir a capacidade das salas”, diz a presidente do Sinepe.

Sala de Acolhimento

Além disso, todas as instituições devem criar uma sala de acolhimento para atender estudantes que apresentem sintomas de infecção pela covid-19. Se for detectado o sintoma em casa, os pais devem comunicar a escola e não permitir a ida do aluno ao ambiente escolar. Nos dois casos, a Secretaria de Estado de Saúde Pública deve ser comunicada do ocorrido em até 24h.

Comitê Técnico

Na última quarta-feira, 26 de agosto, o governo do Pará divulgou um relatório técnico sobre o retorno das aula presenciais. O documento lista três possibilidades de calendários, considerando as faixas etárias dos estudantes. Para o Ensino Infantil e Fundamental, com base na capacidade física e estrutural das salas de aula, em 1º de setembro, 25% de ocupação; em 8 de setembro, 50%; em 22 de setembro, 75%; e em 29 de setembro, 100% da lotação.

Para escolas de Ensino Médio, o cronograma estabelece 50% de ocupação no dia 1º de setembro; 75% no dia 15 de setembro; e em 29 de setembro 100%. Para o Ensino Superior ainda não foi elaborado um calendário de retorno.

Para as instituições com todos os ciclos de ensino, o cronograma será mais específico. Ensino Médio e o Ensino Infantil têm prioridade e voltam com 25% da capacidade em 1º de setembro e 50% no dia 8 de setembro. Para o Ensino Fundamental, 25% retornariam dia 8. Os três ciclos voltam com 50% da capacidade em 15 de setembro. Nos dias 29 de setembro e 6 de outubro, respectivamente, 75% e 100%, para todas as salas.



 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.9%