-
05/05/2021 às 12h00min - Atualizada em 05/05/2021 às 12h00min

Sespa alerta sobre cuidados para garantir eficácia da vacina contra covid-19

É preciso obedecer ao intervalo entre doses para alcançar a imunização

Agência Pará
Com edição do Belem.com.br
Cada marca tem um intervalo no esquema vacinal. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
              
O Pará recebeu essa semana a 17ª remessa de vacina enviada pelo Ministério da Saúde. Agora, o Estado também conta com as doses produzidas pela Pfizer, em parceria com a empresa alemã BioNTech. As condições do fabricante exigem um transporte e armazenamento diferenciado, assim como atenção redobrada por parte da população em obedecer ao intervalo entre doses para garantir a eficácia da imunização.


Os grupos prioritários a serem vacinados devem ficar atentos às informações contidas no cartão de vacinação, pois cada marca tem um intervalo no esquema vacinal. A Sespa alerta sobre a diferença no tempo entre as doses: com relação à Coronavac, a segunda dose deve ser tomada num período de 14 a 28 dias; a de Oxford, no período de até 12 semanas; e a recebida mais recentemente, da Pfizer, a nota técnica do Ministério da Saúde orienta fazer também em 12 semanas.

Diferenças entre as vacinas

O diretor de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Denilson Feitosa, explica as características de cada processo produtivo das doses disponíveis nos municípios paraenses. “Nós recebemos a vacina de Astrazeneca, da Universidade de Oxford; a Coronavac, da Sinovac e do Instituto Butantan; e a da Pfizer, mais recentemente na última segunda.

A vacina de Astrazeneca, de Oxford, que é produzida aqui no Brasil pela Fiocruz, tem como tecnologia o adenovírus vetor, um outro vírus modificado para ter informações semelhantes ao coronavírus e gerar resposta imune ao corpo humano. A Coronavac utiliza o próprio coronavírus inativado e a vacina da Pfizer utiliza tecnologia de RNA”, detalha. 
A vacina da Pfizer necessita ainda ser transportada em caminhão isotérmico, que atinge temperaturas de até menos 20 graus para ser entregue ao município.

Cuidados 

A imunização só pode ser considerada após a segunda dose de reforço, tomada no intervalo específico. “Mesmo após a vacina, os cuidados precisam ser tomados em relação ao distanciamento social, uso de máscara, álcool em gel. A vacina não protege 100% contra infecção pelo coronavírus. Então é passível a pessoa ser infectada e infectar outras pessoas”, reiterou o diretor da Sespa.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.1%
2.8%
2.7%
2.4%
4.6%
14.2%
1.5%
3.1%
1.0%
57.7%