11/03/2022 às 10h38min - Atualizada em 11/03/2022 às 10h38min

Ilha de Cotijuba recebe ação de castração para cães e gatos

A iniciativa ocorrerá durante os próximos sete meses

Com edição do Belem.com.br
Agência Belém
A ação faz parte do Programa de Prevenção a Leishmaniose, desenvolvido pela Prefeitura de Belém. (Foto: Ascom / Sesma)

 

                                                                                                                 
Mais de 700 animais domésticos, entre cães e gatos, serão castrados na Ilha de Cotijuba nos próximos sete meses. A ação faz parte do Programa de Prevenção a Leishmaniose, desenvolvido pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A ação teve início nesta semana com 20 animais castrados.


O objetivo é promover o controle populacional de cães e gatos na ilha de Cotijuba. Durante os próximos sete meses, durante as terças e quintas-feiras, uma equipe do CCZ estará na ilha promovendo a castração dos animais.  


Saúde animal

A moradora da ilha, Laíse Bahia, teve o seu pet castrado na ação e destaca a importância do procedimento para a saúde do animal. “Agora estou mais tranquila porque sei que ele está protegido contra vários tipos de doenças. Além disso, meu animal já saiu de lá chipado. Agora se ele se perder será muito mais fácil encontrá-lo”, destaca. 


O tutor que queira castrar seu animal deve fazer o cadastro prévio na Unidade de Saúde da ilha do Cotijuba e aguardar o retorno do CCZ para o agendamento da palestra, onde os tutores cadastrados são orientados sobre bem-estar animal, posse responsável e prevenção a Leishmaniose. Após a palestra, é agendado o dia e a hora da castração.


Controle

A Leishmaniose é uma doença infecciosa causada por um protozoário do gênero leishmania, que fica fica na corrente sanguínea. Sua transmissão se dá por meio da picada do mosquito-palha e pode afetar a população humana e também a canina ou ainda animais silvestres.


A chefe do CCZ, Betânia David explica que a castração promove a redução de animais na ilha do Cotijuba e ajuda a combater a transmissão da doença de duas formas: a transmissão da doença durante a gestação de animais positivados, evitando que nasçam animais portadores da doença e a redução do número de agentes transmissores na ilha.


"Reduzindo a quantidade de animais na ilha favorecemos o equilíbrio ambiental, assim como, ajudamos a prevenir problemas de saúde pública e também de maus tratos aos animais. É um trabalho preventivo importante", reforça.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »