25/03/2022 às 15h44min - Atualizada em 25/03/2022 às 15h44min

Estudante cadeirante da UFPA encontra dificuldade ao se deslocar à Universidade

Ela alega que a maioria dos coletivos apresenta defeito no elevador de locomoção de cadeirantes

Rosa Borges / Redação Belem.com.br
Segundo a estudante, "UFPA - Cidade Nova 6" e "Curuçambá-UFPA" apresentam problemas problemas no elevador para PCD´s. (Foto: Divulgação / Adriele Barroso)

                                                                                     
Adrileni Barroso é cadeirante e cursa Direito na Universidade Federal do Pará (UFPA), mas diariamente encontra dificuldade no deslocamento para o Campus da Universidade, localizado no bairro do Guamá, em Belém. Ela alega que a maioria dos coletivos apresenta defeito no elevador de locomoção de cadeirantes, o que a impede de entrar no ônibus.

Por conta dessa deficiência nos coletivos, ela fica de duas a três horas na parada, até que possa ter condições de adentrar no ônibus e seguir para as aulas na universidade.

“As aulas presenciais começaram este mês e passo até duas horas, aguardando o ônibus com elevador em funcionamento. Saio de casa às 13 horas pra aula das 15. E quando a aula termina, é outra longa espera no terminal da UFPA,  até conseguir voltar pra casa”, relata a estudante. Ontem saiu  da universidade às 18 horas e conseguiu pegar o  ônibus por volta das 21 horas.

Ela denuncia especialmente a situação dos ônibus que fazem as linhas "UFPA - Cidade Nova 6" e "Curuçambá-UFPA".

“Ontem o elevador do ônibus desceu e não subiu mais, e os passageiros tiveram que passar para o ônibus que vinha em seguida, mas este também estava com o elevador com problema, sem funcionar”, descreve.

Adrilene Barroso passou no vestibular durante o período mais crítico da pandemia da covid-19 e já pensou em desistir das aulas presenciais, em função das dificuldades que enfrenta nos ônibus da cidade.

A Superintndência de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) informou em nota que: "
 A fiscalização não admite ônibus sem equipamento de acessibilidade, ou seja, sem o elevador. Se um coletivo for flagrado, pelos agentes de transporte, com esse item danificado, a empresa é autuada e o veículo é recolhido à garagem e retirado do cadastro do sistema de transporte coletivo por ônibus, até a solução do problema. A autarquia diz, ainda, que os motoristas devem ser treinados pelas empresas de ônibus para o manuseio dos elevadores. O caso relatado não foi protocolado na Semob, mas é importante ressaltar que a autarquia faz fiscalização regular nas empresas, incluindo a Rio Guamá e a Guajará, as principais que atendem ao terminal da Universidade Federal do Pará (UFPA)".

Ainda de acordo com a Semob, "o usuário precisa formalizar essas denúncias na Ouvidoria, em nossos canais de atendimento, pelo site (semob.belem.pa.gov.br), e-mail ([email protected]) ou entrando em contato pelos números 118 ou (91) 98415-4587. É preciso identificar nome completo, e-mail, telefone, endereço e uma descrição da situação. Em caso de denúncias sobre a prestação de serviços de ônibus, é necessário informar nome e código alfanumérico da linha (que fica na lateral do coletivo), empresa responsável, placa, data, hora e local da ocorrência, para que a Semob possa identificar os operadores e empresas, averiguar a denúncia e tomar as providências cabíveis".
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »