19/05/2022 às 14h20min - Atualizada em 19/05/2022 às 14h20min

Funcionalismo público de Belém entra em greve; entenda o caso

Funcionários de pelo menos 11 órgãos começaram a paralisação

Luiz Antonio Pinto - Redação Belem.com.br
Com informações de Rosa Borges - Redação Belem.com.br
A greve começou nessa quarta-feira e continua hoje (19). (Foto: Redes Sociais / Sintepp)

                                                                                                                                               
Os servidores públicos municipais de Belém definiram, durante assembelia geral,entrar em greve. Participam do movimento servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que estão há mais de 40 dias paralisados, além de funcionários da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), Secretaria Municipal de Economia (Secon), Guarda Civil Municipal, Instituto de Assistência aos Servidores Públicos do Município de Belém (IASB), Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (FMEI), entre outros.

Silvia Letícia, coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp-Pa), unidade de Belém, e do Fórum de Entidades do Funcionalismo Municipal, informou que a principal reivindicação é o realinhamento do salário de R$ 869,26 com o salário mínimo nacional, o reajuste do vale-alimentação dos atuais R$ 370,00 para R$ 575,00, restruturação do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores (IASB), além de melhorias nas condições de trabalho.

Silvia Leticia, coordenadora geral do Sintepp em Belém, informou sobre a greve. (Foto: Redes sociais / Sintepp)

Silvia Leticia, coordenadora geral do Sintepp em Belém, informou sobre a greve. (Foto: Redes sociais / Sintepp)



Durante a assembleia geral, os servidores rejeitaram a proposta da Prefeitura de Belém de conceder uma reposição salarial de 4,52% a partir do próximo mês de agosto.

Educação

Nesta quinta-feira (19), uma comissão de professores deu início a uma negociação com a direção da Semed, e após esse encontro, a categoria deve voltar para mais uma assembleia, a fim de definir os rumos do movimento de paralisação


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »