-
16/11/2019 às 12h53min - Atualizada em 16/11/2019 às 12h53min

Arrecadação de dinheiro é organizada para menino com paralisia cerebral

   
O Eriksson tem 5 anos, mora na comunidade quilombola mangueiras, zona rural de Salvaterra no Marajó. Ele nasceu com paralisia cerebral, vive com a mãe Ana a avó Cleia e mais dois irmãos numa casa simples, assim como todas dos arredores.

Pro Eriksson não perder o ano letivo, vai à aula uma vez na semana, a falta de sala adaptada e profissional especializado dificulta o processo de educação. A família de pescadores sobrevive com o dinheiro do benefício que o Eriksson recebe, bolsa família e do seguro defeso.

Pela baixa renda, nem a mãe nem a avó conseguem comprar uma cadeira de rodas adaptada para a criança. Esse é o único pedido que a dona Cleia faz, a tentativa de uma maior qualidade de vida pro Eriksson, uma cadeira de rodas adaptada para paralisia cerebral, que custa em torno de 3 mil reais. 

Se você tem, ou conhece alguém tenha, e queira doar uma cadeira de rodas adaptada para paralisia cerebral é só entrar em contato com @venezuelanosbelem.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.7%
2.4%
4.5%
14.2%
1.4%
3.1%
1.0%
57.7%