-
18/11/2019 às 14h17min - Atualizada em 18/11/2019 às 14h17min

Periferias de Belém recebem Festival de Cinema

A abertura do festival será nesta quarta (20), com exibição da Mostra Negra Toró no Telas, na Praça Olavo Billac, na Terra Firme

belem.com.br
Assessoria de Comunicação do evento
A falta de representatividade na construção dos filmes impulsionou a atriz e realizadora audiovisual, Joyce Cursino, a idealizar o Telas em Movimento (Foto: Victor Borges)

Democratizar o acesso ao cinema é o principal objetivo do projeto Telas em Movimento, o 1° Festival de Cinema das Periferias, que será realizado entre os dias 20 de novembro e 1° de dezembro, nos bairros do Guamá, Jurunas, Terra Firme, Cabanagem, Icoaraci e na Ilha do Combu. A abertura do festival será nesta quarta-feira (20), dia da Consciência Negra, com exibição da Mostra Negra Toró no Telas, na Praça Olavo Billac, na Terra Firme, elaborada em parceira com o curso de cinema da Universidade Federal do Pará (UFPA) e agentes do bairro.
 
Segundo dados divulgados pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), em 2016, mais de 97% dos filmes de longa-metragem foram dirigidos por pessoas brancas, restando apenas 2,1% de homens negras. Nesse período, nenhum filme foi dirigido ou roteirizado por uma mulher negra. A falta de representatividade na construção dos filmes e a dinâmica excludente de distribuição das obras brasileiras impulsionaram a atriz e realizadora audiovisual, Joyce Cursino, a idealizar o Telas em Movimento. 
 
"A ideia do Telas é subverter essa lógica e levar as telonas para as praças, onde são feitas exibições públicas; fomentar a capacitação audiovisual por meio de oficinas em escolas, em parceria com os realizadores do próprio território, além de reconhecer e valorizar o trabalho dos cineclubes já existentes, que  levam a sétima arte para quem não tem condições nem se quer de pagar um ônibus para ir ao cinema", explica.
 
Nesta edição, o Telas pretende ainda inaugurar um cineclube na ilha do Combu, como resultado prático da oficina de cineclube que ocorrerá na comunidade durante o período do festival. O festival também tem o intuito de provocar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas à sétima arte nas periferias, contribuindo para o desenvolvimento profissional e econômico desses realizadores.
 
"A nossa população já está atuando nessa área há anos, mas não consegue acessar recursos para trabalhar com dignidade. Há um sequestro das nossas narrativas, inclusive amazônidas, por quem detém mais acesso às estruturas técnicas e informacionais da cadeia do cinema", completa Joyce.
 
Diante disso, o festival pretende proporcionar uma troca de saberes entre instituições de ensino, produtoras renomadas, realizadores independentes e comunidades periféricas. O 1º Festival de Cinema das Periferias será realizado pela Negritar Filmes e Produções, Central Única das Favelas de Belém (CUFA- Belém) em parceria com o Coletivo dos Realizadores Independentes do Audiovisual da Amazônia (CRIA), e conta com apoio do Curso de Cinema da UFPA, Faculdade Pitágoras, Faculdade Estácio do Pará, Inteceleri, Stock Music, Secult - Secretaria de Cultura do Estado do Pará, MM Produções, ÊÊ Manas, Tela Firme, Mazô Filmes, Na Cuia Produtora Cultural, Cineclube TF, Treme Filmes e Melé Produções.
 
Serviço:
Informações sobre a programação:
Facebook: https://www.facebook.com/telas.emmovimento/
Instagram: https://www.instagram.com/telas_emmovimento/
Contatos/produção: 
Joyce Cursino (91) 9807-1196
Tamara Mesquita (91) 98256-1869
e-mail: telasemmovimento@gmail.com
 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.1%
2.8%
2.7%
2.4%
4.6%
14.3%
1.4%
3.1%
1.0%
57.6%