-
11/12/2019 às 19h45min - Atualizada em 11/12/2019 às 19h45min

Jornalistas e fotógrafos aguardam Prêmio de Jornalismo em Turismo

Cerimônia de premiação será nesta quinta-feira (12), em Belém

Andreza Gomes
Jornalista do belem.com.br
A matéria da jornalista Laís Azevedo que a credenciou para o prêmio fala sobre Alter do Chão (Foto: arquivo pessoal)
  
A jornalista paraense Laís Azevedo recebeu a notícia de que está entre os finalistas do 5º Prêmio de Jornalismo em Turismo “Comendador Marques dos Reis”, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet-Pará) como uma grata surpresa. “Eu tomei um susto, estou muito feliz em participar desta final”, explica.
 
A reportagem que a credenciou, publicada no Caderno Você, do jornal Diário do Pará, fala sobre Alter do Chão, cenário cultural, turístico e paraense que sempre está em destaque na mídia nacional e até internacional.
 
“Paraíso da Criação” fala sobre como todo aquele paraíso acaba servindo de inspiração artística para pessoas locais e, também, de outros Estados brasileiros, que vieram conhecer a Vila e fixaram residência.
 
“Sobre o ponto de vista artístico e cultural, tentei mostrar como os produtores visitaram, se apaixonaram e ajudaram a construir uma cena cultural, que acabou criando um outro olhar sobre o lugar que vai além das praias exóticas e da floresta,” detalha.
 
“Conheci Alter do Chão com a minha família, em uma viagem no ano de 2011 e fiquei encantada com o lugar. Sempre que tenho oportunidade faço reportagens sobre a ilha”, conta.
 
Por telefone, ela fez contato com artistas e produtores que atuam no lugar. “O produtor paulista Rodrigo Viellas adotou Santarém como sua nova morada, foi conhecer e se apaixonou. Ele me passou contatos de outras pessoas, inclusive do Espaço Cultural Alter do Chão. Ouvi artistas locais, grupos de mulheres que promovem uma feira de artesanato Borari. Na época estava sendo anunciado o primeiro Festival Internacional de Cinema de Alter do Chão”, relembra.
 
A jornalista acrescenta ainda que a matéria foi capa do jornal de domingo. “Lembro que a publicação foi feita em um domingo, bem bonito, inclusive a abertura dela era com um morador que aprendeu a tocar saxofone com os turistas; e ele estava em um barco no meio do rio”, destaca.
 
Em 2018, a jornalista foi um dos destaques do Prêmio do Banco do Amazônia pelo Dia Nacional da Imprensa. “Eu escrevi uma reportagem sobre o Mestre Vieira, que completava 80 anos, foi uma das últimas entrevistas dele”, comenta.
 
Mídias Sociais
 
O fotógrafo, Rafael Fernando afirma que a indicação para o Prêmio Jornalismo em Turismo Comendador Marques foi recebido com surpresa. “Existem tantos olhares sensíveis de fotógrafos em nossa região. Tentei mostrar a realidade dos povos indígenas e quilombolas, pois muitos turistas quando vêm ao Pará não adentram a realidade que envolvem estas comunidades tradicionais”, comenta.
 
A obra intitulada “Unidade, Rio, Luz e Homem” foi produzida em 2018, na cidade de São Domingos de Capim. “Foi uma alegria estar próximo de pessoas que cuidam, preservam esse meio ambiente e têm uma comunhão e um diálogo com a natureza de onde elas vivem”, pontua.
 
Rafael Fernando finaliza dizendo que está feliz com este reconhecimento “do trabalho frente ao olhar do povo, povo que cuida do patrimônio e preserva essas culturas nos espaços, como por exemplo: Monte Alegre, Santarém, entre outras”.
 
Estão concorrendo 21 profissionais entre jornalistas e fotógrafos em seis categorias.  Os vencedores serão conhecidos nesta quinta-feira (12), no Centro de Cultura e Turismo Sesc Ver-o-Peso, em Belém, em um coquetel preparado pelos chefs de cozinha Herlander Andrade (Restaurante Moquén/Belém), Carlos Malicheschi (Restaurante Verde Mar/Salinópolis) e José Carlos (Restaurante Casemirão/Salinópolis) ao som da guitarrada do mestre Curica.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual dos museus em Belém deveria ser visita obrigatória para qualquer pessoa que queira conhecer mais a cidade?

68.4%
0%
0%
10.5%
21.1%