-
16/01/2020 às 09h12min - Atualizada em 16/01/2020 às 09h12min

“Maniva” é apresentado em Belém e Castanhal

A montagem é do Coletivo Maniva, formado por brasilienses e uma paraense, radicada em Brasília

Assessoria de Comunicação do evento
Com edição do belem.com.br
O coletivo acredita que o trabalho só tem a crescer com os olhares do público paraense (Foto: Divulgação)
   
O espetáculo “Maniva” chega a Belém para apresentações nos dias 16 e 17 de janeiro, no Sesc Castanhal e Sesc Ver-o-Peso, respectivamente. O espetáculo já realizou 2 temporadas independentes em Brasília e sua 1ª temporada em Belém só será possível, por conta de uma benfeitoria realizada na internet, onde o público pode colaborar com o coletivo para vinda à cidade. A montagem é do Coletivo Maniva formado por brasilienses e uma paraense, radicada em Brasília.

A montagem surgiu a partir de “Os três Mal-Amados”, poema-peça inacabada de João Cabral de Melo Neto. O texto foi o ponto de partida para provocações que levaram os atores a uma dramaturgia autoral, essencialmente embasada em elementos do imaginário cultural e realidade paraenses. A atriz Larissa Souza foi o elemento chave para que o tempero paraense conduzisse essa mistura de referências, que tanto se parece com a pluralidade cultural da capital do país. A vontade de trazer o espetáculo à Belém não é algo recente, desde que os contornos de dramaturgia foram criados, esse desejo já pulsava no coletivo. Isso porque eles acreditam que o trabalho só tem a crescer com os olhares do público paraense, munidos de vivências e afetividade com a maniçoba.

“Maniva” apresenta um recorte da vida de uma mulher, onde num ato apaixonado ela se põe a preparar uma maniçoba, prato típico da culinária paraense, e, durante esse preparo, vive um encontro consigo mesma. Numa trajetória permeada pelo real e onírico vão se revelando os abismos e sutilezas que habitam as entrelinhas do amar. Ao longo da apresentação, a peça discute temas como relações de dependência e violência doméstica, por meio de metáforas muito inspiradas na riqueza poética da escrita de João Cabral. A montagem tem atuação de Larissa Souza, iluminação e trilha sonora executada ao vivo, de Luisa L’Abbate e Thiago Gama e, direção de Rafael Toscano e Yuri Fidelis.

“Há quase 8 anos, moro em Brasília e vir pra cá só fortaleceu essas raízes. Foi preciso me distanciar pra perceber que eu era toda emaranhado de umidade, calor, onça pintada, açaí e andiroba. Nas minhas unhas tem terra negra da Amazônia e terra vermelha do Cerrado. Brasília também não é esse deserto de desalmados. Ser uma artista, mulher, afroindígena paraense vivendo na capital me amplia a visão sobre os dois lugares, me faz ver organicidade no planejamento alvo de Brasília, me mostra que o Centro Oeste ainda sabe pouco do Norte. É nesse trânsito que quero estar”, declara a atriz Larissa Souza.

Serviço:
SESC CASTANHAL
Data: 16 de janeiro (quinta-feira), às 19:30h
Local: Sesc Castanhal (Avenida Barão do Rio Branco, 10 – Bairro Nova Olinda)
Entrada gratuita
Classificação 14 anos.

SESC VER-O-PESO
Data: 17 de janeiro (sexta-feira), às 19h
Local: Sesc Ver-o-Peso (Av. Boulevard Castilhos França, 522/523)
Ingressos: 5 reais
Classificação 14 anos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.2%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.9%