-
23/12/2019 às 09h43min - Atualizada em 23/12/2019 às 09h43min

Uepa e Ufra continuam inscrevendo para especialização sobre autismo

O edital oferta 300 vagas distribuídas entre os municípios de Belém, Marabá e Santarém

Uepa
Com edição do belem.com.br
A OMS estima que 1% da população mundial tenha autismo. No Estado do Pará, são mais de 80 mil pessoas (Foto: Uepa)
   
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) e a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) promovem, de forma pública e gratuita, o curso de pós-graduação em Transtorno do Espectro Autista: intervenções multidisciplinares em contextos intersetoriais. As inscrições seguem até o dia 6 de janeiro. O edital oferta 300 vagas distribuídas entre os municípios de Belém, Marabá e Santarém, com foco na atuação nos eixos de saúde, educação e assistência.
 
“A especialização vem com o propósito de preparar os profissionais das mais diversas instituições, seja da rede pública ou privada, para atenção adequada à pessoa com transtorno do espectro autista, por isso o curso é aberto para qualquer graduação e pretende consolidar conhecimentos acerca das características das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista, sua condição clínica, potenciais de desenvolvimento, com ênfase na compreensão de abordagens pedagógicas e terapêuticas, jurídica e assistencial, necessárias para a efetiva inclusão desse indivíduo, segundo os princípios de atenção integral ao TEA”, afirma a coordenadora do Curso de Especialização em TEA, Scheilla de Castro Abbud Vieira.
 
O Curso de Especialização Lato Sensu ofertará subsídios teóricos e práticos para capacitar profissionais (professores, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, médicos, assistentes sociais e áreas afins) para melhor atuarem  com indivíduos que apresentam o TEA, além de pesquisadores das diversas áreas do conhecimento que desejam ampliar a atuação para esse público.
 
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 1% da população mundial tenha autismo. No Estado do Pará, são mais de 80 mil pessoas que precisam de diagnóstico precoce e atendimento multiprofissional, além da inclusão social. Pensando nessa questão foi criado um grupo de trabalho pelo Governo do Estado, por meio da coordenadoria da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), com o objetivo de realizar estudos para a implantação do primeiro centro de atenção da pessoa com autismo do Pará. Essa especialização vem com o propósito de atender as necessidades desse centro, que já está em construção, por isso o interesse na especialização em um contexto de interiorização também.
 
A coordenadora comenta sobre a importância deste curso, que é a primeira pós-graduação pública e gratuita da região Norte na área.
 
“Estamos falando de pessoas humanas e construtores de saberes e em função disso precisamos dar atenção nessa relação dialógica com o sujeito autista, onde ao mesmo tempo que aprendem, também, ensinam, portanto, pensando nisso, teremos disciplinas práticas e laboratoriais, tal como o trabalho de conclusão de curso que será direcionado para a elaboração de um produto de intervenção nos ambientes onde nosso discente estiver atuando. A intenção é que cada cursista possa intervir na sua realidade, ao garantir procedimentos que conduzam à melhoria dos atendimentos nos diversos equipamentos sociais ao indivíduo com TEA, bem como para a sociedade em geral, o que, sem dúvida, conduzirá à redução dos impactos que o TEA acarreta aos familiares, quando não identificado precocemente e atendido adequadamente”, afirmou Scheilla Abbud.
 
Serviço:
Curso de Especialização em “Transtorno do Espectro Autista: intervenções multidisciplinares em contextos intersetoriais”
Vagas: 300 (100 Belém, 100 Santarém, 100 Marabá)
Inscrições: até 06.01 (gratuita)
Informações aqui.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual dos museus em Belém deveria ser visita obrigatória para qualquer pessoa que queira conhecer mais a cidade?

66.7%
4.8%
0%
9.5%
19.0%