-
23/01/2020 às 15h30min - Atualizada em 23/01/2020 às 15h30min

Longa paraense é selecionado para o Festival de Berlim

Filme do diretor Fernando Segtowick aborda aspectos da vida das pessoas que moram às margens do Lago de Tucuruí

Andreza Gomes
Jornalista do belem.com.br
Cena do filme de Fernando Segtowick (Foto: Alexandre Nogueira/Marahu Filmes)
    
O longa “O Reflexo do Lago”, do diretor e roteirista paraense Fernando Segtowick, foi selecionado para a Mostra Panorama Dokumente, no Festival de Berlim, considerado como um dos mais importantes do mundo. A produção, documental, aborda aspectos da vida das pessoas que moram às margens do Lago de Tucuruí, formado a partir da barragem da usina hidrelétrica implantada na região.

A notícia foi recebida nesta semana e comemorada por todos que produzem e se envolvem com a sétima arte na capital paraense.

O diretor festejou o momento da sua carreira. “Como esse é meu primeiro longa metragem, é uma notícia incrível. É uma mostra oficial dentro do Festival de Berlim, que é um dos três maiores do mundo. Os outros são Cannes e Veneza”, explica.

O longa foi baseado no livro “O Lago do Esquecimento”, da fotógrafa Paula Sampaio. O filme, com 79 minutos, ainda não tem previsão para a estreia no Brasil, mas Segtowick espera que seja o mais breve possível.

Em um post nas redes sociais, o diretor agradeceu a todos os envolvidos na concepção e produção do longa. “E, em especial a todos os moradores do rio Caraipé, no lago da hidrelétrica de Tucuruí - que abriram as casas e corações para esse documentário. Obrigado a todos. Tá sendo incrível”, finaliza Fernando Segtowick.

A fotógrafa Paula Sampaio, 54, ficou muito feliz com o sucesso da obra que o Fernando realizou. “Desde o início, eu tinha certeza de que ele faria um trabalho contundente. É curioso porque quando eu estava fotografando, imaginei todas aquelas cenas, paisagens, relatos em movimento”, conta.

Ela lembra que fotografa a região de Tucuruí desde 1994. “O longa será lançado em um momento político, social, em que precisamos nos posicionar. Existem dezenas de hidrelétricas em construção na Amazônia com a mesma potência de destruição do que ocorreu em Tucuruí”, pontua.

Sampaio fez esta documentação fotográfica no período de 2011 a 2013, que se materializou no livro “O Lago do Esquecimento".

Oscar 2020

A atriz paraense Dira Paes foi, novamente, confirmada como comentarista da transmissão do Oscar 2020 pela TV Globo. Há três anos, Dira atua como comentarista do evento, ao lado dos jornalistas Arthur Xexéo e Maria Beltrão. Esta 92ª edição do Oscar será transmitida no dia 09 de fevereiro, a partir das 23 horas. Dira Paes é atriz e também tem realizações na área da produção cinematográfica.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
-

Qual ‘brega marcante’ mais representa esse ritmo musical em Belém?

10.3%
2.9%
2.5%
2.3%
4.7%
14.1%
1.4%
3.0%
1.1%
57.6%